495450580893305

Após mais de três anos preso, jovem é absolvido pelo júri popular por crime de assassinato em Quatro


Após mais de três anos preso, Jean Carlos Freitas da Silva, de 25 anos, foi absolvido de participação na morte do pedreiro Anderson de Souza. O júri popular foi realizado nesta quarta-feira (31), no Fórum de Campina Grande do Sul, na região metropolitana de Curitiba. Anderson foi assassinado a facadas em outubro de 2010, na cidade de Quatro Barras, e Jean foi acusado de agir junto com Hebert Richard de Miranda no crime.

Em entrevista à Banda B, o advogado Matheus Gabriel Rodrigues de Almeida, disse que defesa teve êxito de comprovar a inocência Jean. “A prova pericial tira Jean do delito e todas as testemunhas afastam a participação dele no crime. Conseguimos demonstrar a inocência do Jean, que é o que a família buscava virar essa página”, disse.


Na denúncia, o Ministério Público do Paraná (MP-PR) alega que Jean agiu em conjunto com Hebert, com motivação torpe. Anderson teria sido assassinado por causa de uma dívida relacionada ao tráfico de drogas na cidade. Os processos de Jean e Hebert foram separados pela Justiça, mas o segundo ainda deve ir a julgamento.

Em relação ao tempo em que Jean esteve preso, a defesa informou que ainda irá aguardar se entra com algum outro tipo de processo. “Vamos aguardar o prazo de cinco dias para ver se o MP vai entrar com recurso. Daqui para frente, sobre o tempo que em que ele ficou preso, vamos avaliar ainda”, concluiu.

Hebert teve o processo considerado nulo anteriormente e deve passar por audiências antes do júri.

(Foto: TJPR)


1/1

1/1

1/1

1/1

1/1

1/7

1/5

1/6