495450580893305 Atlético-PR "salva" times do interior de São Paulo com empréstimo de jovens

Atlético-PR "salva" times do interior de São Paulo com empréstimo de jovens



A Ferroviária foi campeã. E o Guaratinguetá se salvou do rebaixamento após se afundar na lanterna da Série C. Nos dois casos, por trás das equipes do interior de São Paulo quem apareceu foi o Atlético-PR. O Furacão emprestou jogadores das categorias de base.

Nessa temporada o Atlético-PR fechou parcerias com três clubes: Ferroviária e Guaratinguetá, do interior de São Paulo, e Foz do Iguaçu, do Paraná, para disputa do Paranaense. Guará e Ferroviária tiveram bons resultados após acordo.

Dessas equipes, a Ferroviária foi quem teve mais sucesso. O time foi campeão da Série A2 e conseguiu voltar à elite do Campeonato Paulista, algo que não acontecia há 19 anos. A Ferrinha foi comandada por Milton Mendes e entre as principais revelações estão: o meia Alan Mineiro (Bragantino, negociado com o Corinthians para 2016 - o jogador chegou a ser sondado pelo Rubro Negro), o lateral-esquerdo Roberto (voltou ao Furacão após passagem pelo Bragantino) e o zagueiro Luan.

Parcerias Atlético-PR em 2015 Ferroviária - título e acesso na A2 Guaratinguetá - fora da degola Revelações: Milton Mendes - técnico Roberto - lateral-esquerdo Luan - zagueiro Alan Mineiro - meia (Corinthians)

Em julho, foi a vez do Guaratinguetá, que disputa a Série C do Campeonato Brasileiro. A Garça do Vale estava afundada na lanterna da Terceirona. O rebaixamento parecia questão de tempo. Até que veio a parceria com o Furacão, que cedeu jogadores da equipe sub-23. Uma das partidas do Guará chegou a ser realizada no Paraná. E, depois disso, o desempenho do time subiu.

Lanterna de seu grupo no nacional com apenas 12% de aproveitamento e apenas um gol marcado, o time se encaixou e escapou de um rebaixamento iminente à Série D comgoleada por 5 a 0 sobre o Madureira no último domingo.

– O time estava numa fase muito ruim. Foi colocado à venda por três vezes nos últimos anos. Caiu para Série C, caiu no Paulista, era derrota atrás de derrota. A parceria com o Atlético-PR salvou um pouco, porque sem ela teria caído – comentou o torcedor Ricardo Soares, membro da organizada Torcida Jovem.

– Pela análise que eu faço das outras equipes, eu tenho a convicção de que iríamos nos classificar para a Série B e também lutaríamos pelo título – analisou o técnico português Sérgio Vieira, que comanda o Guaratinguetá.

– A gente melhorou de uma forma muito rápida e formamos um time forte. No início as coisas não correram bem porque o time precisava de duas, três semanas de pré-temporada para preparar. Entramos no meio da competição juntando o sub-23 do Atlético-PR com o time do Guaratinguetá e foi difícil. Com o passar do tempo as coisas foram evoluindo – acrescentou.

Técnico Milton Mendes, do Atlético-PR

No começo do ano, o Atlético-PR ainda fechou um acordo com o Foz do Iguaçu. No entanto, aparceria acabou durante o Campeonato Paranaense, com o presidente do clube do interior alegando pressão política pela diretoria do Furacão. O time foi vice-campeão do interior e conseguiu uma vaga na Série D do Brasileiro.

Ainda é incerta a continuidade dessas parcerias para 2016. Houve especulação de que o Taubaté, campeão da Série A3 do Paulista de 2015, também poderia fazer parceria com o Furacão para 2016.

Sub-23 do Atlético-PR

O Rubro-Negro tem utilizado a equipe sub-23 como alternativa para o time profissional. Foi assim nos três últimos estaduais. Em 2013, foi vice-campeão. Ficou nas semifinais ano passado e, em 2015, saiu ainda na primeira fase e precisou disputar o quadrangular final.


1/1

1/1

1/3

1/1

1/6