495450580893305 Câmara Campina economiza quase R$ 2 milhões e manifestantes pedem devolução do dinheiro à prefeitura

Câmara Campina economiza quase R$ 2 milhões e manifestantes pedem devolução do dinheiro à prefeitura


Cerca de 20 moradores do Jardim Paulista em Campina Grande do Sul, se reuniram no plenário da Câmara Municipal durante Sessão Ordinária do último dia (27), para um manifesto popular solicitando melhorias nas ruas do bairro. Uma equipe de reportagem da RPC, afiliada da Rede Globo, acompanhou o protesto. CLIQUE AQUI para ver a reportagem. Os manifestantes levaram faixas pedindo para que a economia feita pela Mesa Diretiva da Câmara durante a atual legislatura, cerca de quase R$ 2 milhões, fosse devolvida aos cofres da Prefeitura Municipal. Os manifestantes sugeriram, ainda, que o valor economizado fosse aplicado na revitalização das vias da localidade, entre elas, a rua Presidente Arthur Costa e Silva.

Conforme informado pela diretoria geral da Câmara Municipal, o dinheiro está reservado em um fundo específico para a construção do novo prédio do legislativo, já que o atual imóvel pertence à Prefeitura Municipal. Com isso, ao final de 2016, quando termina a legislatura, o dinheiro economizado pelos vereadores deve ser devolvido ao executivo conforme rege a Lei em vigor.

Uma série de documentos foram apresentados à nossa equipe, em que os vereadores pedem ao executivo a desocupação da parte inferior do prédio para a ampliação da Câmara. Os pedidos, segundo o legislativo, foram todos negados pelo prefeito.

"A partir de 2017 serão 11 parlamentares e mais 22 assessores, além dos funcionários. Sendo assim, este espaço não comporta mais o trabalho do legislativo", justificou o diretor geral da instituição Aluísio Soares, sobre as necessidades para construção da nova sede ao Linkada News.


O presidente da Câmara, vereador Sergio Cavagni (PR) afirmou que ao final do mandato a economia pode ultrapassar os 2 milhões de reais. "Nós tratamos o dinheiro público com responsabilidade e mesmo usando somente 4% dos 7% garantidos por Lei, gerando um repasse automático à prefeitura, ainda sim conseguimos este feito histórico". O vereador Renato Machado Newton (PMDB), disse que não há definição que o recurso será usado para a construção de um novo prédio. "Nós fizemos nosso papel, economizar e não ser motivo de escândalo como vemos que acontecem em outras cidades com a farra das diárias. Se for necessário com certeza, no momento oportuno como manda a Lei, devolveremos o recurso, uma vez que o dinheiro é do povo", completa.

(Foto: Reprodução RPC)


1/1

1/1

1/3

1/1

1/6