495450580893305 Câmara de Colombo dá início ao processo de cassação do vereador Oliveira da Ambulância

Câmara de Colombo dá início ao processo de cassação do vereador Oliveira da Ambulância



A Câmara Municipal de Colombo decidiu por unanimidade, durante sessão realizada na tarde desta terça-feira (26), dar início ao processo de cassação do vereador Joaquim Gonçalves de Oliveira (PTB), o Oliveira da Ambulância (PTB) que pode perder o mandato devido a irregularidades cometidas no cargo. O parlamentar passou a ser investigado após ser preso em flagrante, em 2015, quando tentava passar cheques fraudados no valor de R$ 5 mil em um comércio no bairro Portão, em Curitiba.

A proposta de cassação do Oliveira da Ambulância é de autoria do vice-presidente da Câmara de Colombo, vereador Givanildo da Silva (Gil Gera) do PSDB, que considerou a ação praticada pelo colega como quebra de decoro parlamentar. O processo de cassação de Oliveira foi concluído na última segunda-feira (25) após análise da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, que tem como conselheiro o vereador Pastor Antônio (PRB). Antes da decisão, a CCJ avaliou a defesa do vereador que disse estar sendo vítima de uma armação política.

A presidência da Câmara Municipal convocou para esta quarta-feira (27) às 16h, uma sessão extraordinária entre os parlamentares para apresentar e votar o projeto de Decreto Legislativo nº 091/2016, que trata exclusivamente sobre a perda de mandato do vereador. Se aprovado, uma nova e última votação decisiva será convocada e deverá ocorrer por meio de voto secreto.

A votação final que decidiria o futuro de Oliveira estava programada para amanhã quinta-feira (28) mas, como é necessário que todos os 21 parlamentares estejam presentes na sessão e dois deles encontram-se em viagem à Brasília, a votação foi transferida para semana que vem.

Para ser absolvido e se manter no cargo, Oliveira precisa que pelo menos nove vereadores votem contra o projeto de cassação de seu mandato. Sendo assim, a perda do mandato depende da votação favorável de 2/3 dos vereadores, ou seja 14 parlamentares.

Em entrevista ao site Paraná Portal, o presidente da Câmara de Colombo, vereador Waldirlei Bueno, disse acreditar que a cassação terá os votos necessários para se concretizar. “Existe uma insatisfação bastante grande porque tem colocado o Legislativo em uma situação vexatória. Pelo nível de insatisfação, deve ser aprovada (a cassação)”, disse o presidente ao portal.

Histórico

Oliveira da Ambulância está em seu terceiro mandato na Câmara de Colombo. É a quarta vez que passa por um processo de cassação, tendo sido absolvido as outras vezes no plenário. Em 2007, foi acusado de acorrentar e espancar o enteado, então com 9 anos. Em 2011, o Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (Gaeco) o acusou de ficar com parte dos salários de assessores da Câmara, quando também foi preso.

Resposta

Em um depoimento exclusivo dado ao Blog Ivan de Colombo, site que cobre especialmente os fatos políticos do município, o vereador Oliveira da Ambulância comentou as acusações contra ele. Segundo o parlamentar, tudo não passa de uma armação política articulada por alguns vereadores.



1/1

1/1

1/3

1/1

1/6