495450580893305

Exclusiva: Linkada News entrevista candidata à presidência do Clube Santa Mônica

Conquistando posições de destaque no mercado de trabalho e na sociedade, a mulher vem mostrando nos últimos tempos que, além de capacidade, deve ter sim os mesmos direitos que os homens.


Um dos espaços que vem sendo ocupado aos poucos pelas mulheres é o setor político. Clarenz Inez Venturin Ishikawa representa esse grupo de mulheres que busca mudanças e igualdade. Aos 56 anos, ela disputa a presidência do Clube Santa Mônica, que tem eleições marcadas para acontecer no dia 27 de setembro.




A candidata faz parte da chapa Renovação com Transparência, que conta com a participação de outras 11 mulheres e pode ser, pela primeira na história do clube, a primeira mulher a conquistar a presidência. Em uma entrevista pingue-pongue concedida ao Linkada News, Clarenz Inez Venturin comentou sobre as propostas da chapa, eleições e a representatividade da mulher neste setor. Confira abaixo:


Pela primeira vez na história do clube Santa Mônica uma mulher pode assumir a presidência em um grupo que conta com 12 mulheres na chapa. Considerando que o clube é um dos mais tradicionais da cidade, isso é uma quebra de paradigmas. De que forma uma administração com maior participação feminina pode fazer diferença em um clube social?

Propomos uma forma de administração participativa e colaborativa dos sócios. Assim, entendemos que a participação feminina será atuante, agregadora, um olhar e uma escuta atenta às demandas dos sócios do clube, assegurando ações adequadas e harmônicas.


Como a senhora avalia a maior participação da mulher na sociedade e na política?

A mulher sempre teve uma participação na sociedade e na política direta ou indiretamente. Atualmente, os espaços conquistados e ocupados mostram maior relevância para funções e cargos de destaques e de lideranças em vários setores de empresas, no governo, em associações. Mas, importante ressaltar que toda a função ou cargo que exerce é de relevância, pois todos os serviços prestados estão interligados, e dependemos uns dos outros.


A pandemia trouxe uma situação nunca imaginada pela sociedade em vários setores. Praticamente todos os municípios paranaenses tiveram reconhecido o estado de calamidade. O impacto também acontece nas empresas e clubes. Em que condições a próxima gestão vai assumir o clube?

O clube neste período de pandemia, teve perdas de sócios, aumento de inadimplência, afastamento de colaboradores, diminuição de serviços ofertados aos sócios, entre outros fatos. Neste momento, não podemos afirmar as condições financeiras do clube, mas há indícios de estar com déficit.


Quais as primeiras medidas da gestão assim que assumir o clube?

Entendo que para administrar o clube se faz necessário um diagnóstico da real situação do clube, tanto para as obrigações financeiras, quanto as estruturais, das participações dos sócios nos diferentes setores, saber das funções dos colaboradores e a qualidade dos serviços dos prestadores de serviços e comodatários. Por consequência a realização de um planejamento de ações a curto, médio e longo prazo. Vale ressaltar que neste período, os sócios de cada setor poderão contribuir com ideias, sugestões e soluções para os possíveis problemas.


Então, se assumirmos a gestão do clube, temos muitos desafios, dentre eles estão o gerenciamento financeiro, a administração dos espaços, dos colaboradores, dos prestadores de serviços e dos comodatários e atender as demandas dos sócios. Também, devemos pensar em atuar na coletividade, na sustentabilidade e equidade para se ter a modernização da gestão e do clube, tão necessárias a ele.


O nome da chapa é Renovação com Transparência e, como o próprio nome diz, traz outra tendência da administração pública e privada nos últimos anos que é o chamado compliance. Qual é a importância de aplicar esses princípios nesse momento? E de que forma essas medidas podem ajudar a equilibrar as contas do clube depois da pandemia?

A chapa Renovação com Transparência traz a ideologia que está alicerçada no próprio Estatuto do clube. Para o momento atual, pede a modernização da administração, a prestação de contas das ações efetuadas pelos gestores e investimentos na área esportiva, social e de lazer. O processo de diagnosticar, planejar, atuar e reavaliar conduzirá a investimentos de acordo com as prioridades e necessidades dos sócios, cumprindo as normas legais do Estatuto. A divulgação pelo Portal da Transparência permitirá a todo sócio acompanhar e avaliar os serviços prestados da gestão.


Assim como o clube Santa Mônica, muitos sócios tiveram dificuldades financeiras nesse período de pandemia. A próxima gestão tem uma estratégia para resgatar os sócios que ficaram inadimplentes nesse período?

Trazer o sócio que devido à pandemia teve a necessidade de realizar cortes financeiros, e que neste momento encontram-se inadimplentes é de fundamental importância para o clube. Propostas estão sendo estudadas para que viabilizem o retorno destes ao clube acertando suas pendências.


Com a pandemia a população está valorizando mais a convivência social e o contato com a natureza. De que forma isso pode atrair mais sócios para o Santa Mônica?

O Clube Santa Mônica possui uma área de natureza de valor inestimável, que favorece os encontros e reuniões dos sócios, familiares e amigos conforme seus desejos, suas vontades, seus interesses, e fortalecem as relações interpessoais. A melhoria dos serviços prestados e a satisfação dos sócios do Santa Mônica é uma das melhores formas de propaganda e angariamento de associados. Se o sócio tem o desejo de estar no clube, em realizar atividades, em encontrar com familiares e amigos, este sócio será o porta voz para outros mais sócios.


1/1

1/10

1/1

1/1

1/1

1/1

1/1

1/1

1/2