495450580893305 Campina: Apesar de confusa, mudança em rua da "trincheira" divide opiniões

Campina: Apesar de confusa, mudança em rua da "trincheira" divide opiniões



Apesar de confusas, as recentes mudanças ocorridas entorno da rua Leonardo Francischeli, no Jardim Paulista, em Campina Grande do Sul, têm dividido a opinião de comerciantes e motoristas.

De acordo com os usuários, a mudança foi repentina e pegou todos de surpresa. Eles afirmam que a novidade entrou em vigor na semana passada, sem aviso prévio e sem esclarecimentos por parte dos órgãos responsáveis. As mudanças refletiram de forma direta no fluxo de veículos nas vias próximas (Pedro Pasa, Nilce Teresinha Zanetti, José Sbalcheiro e Alderico Bandeira de Lima).

O que mudou

O acesso direto ao bairro Jardim Paulista, que antes era feito pela rua Leonardo Francischeli foi fechado. Agora, motoristas que vêm de Curitiba ao passar por debaixo da trincheira são obrigados a seguir pela esquerda pela Rua Pedro Pasa (Marginal da BR-116) até a rua José Sbalcheiro (direita) para poderem adentrar no bairro. Outra grande mudança foi que a rua Leonardo Francischeli, conhecida também como "rua da trincheira" voltou a ser de mão dupla.

Dúvida


A mudança está gerando dúvidas na maioria dos motoristas que trafegam pela região. Muitos afirmam ainda não ter conhecimento que a Leonardo Francischeli deixou de ter sentido único, a exemplo da analista de recursos humanos Josiane Santos, de 29 anos, que na semana passada se envolveu em um acidente na esquina da rua Alderico Bandeira de Lima.

“Eu não sabia que a rua da “trincheira” agora é via de mão dupla. Não foi colocado nenhuma sinalização indicando a mudança, tanto que parei na esquina e olhei apenas para o meu lado direito, quando arranquei com o carro, um outro veículo que vinha pelo lado esquerdo acabou acertando a minha lateral. Agora terei que arcar com o prejuízo do meu e do outro carro, pois pela lógica era eu a errada na situação”, lamenta Josiane.

Estaca no caminho


Se não bastasse a confusão enfrentada pelos motoristas, outra questão que vem causando certa estranhesa entre os trauseuntes é o fato de uma estaca de desvio estar obstruindo a faixa de travessia de pedestres, na rua Pedro Pasa. Parte da nova sinalização também foi pintada sobre a faixa exclusiva, próximo à trincheira. O caso foi parar no facebook e rapidamente viralizou nas redes sociais. A publicação recebeu vários comentários e compartilhamentos de intenautas.

Contra

O gerente Luis Fernando, 45 anos, reclama do fechamento do acesso à Leonardo Francischeli. Segundo ele, o fluxo de carros passou a ser menor em frente à sua farmácia, o que acabou prejudicando as vendas. “A via era praticamente a segunda entrada da cidade. Com as mudanças o movimento caiu bastante. A prefeitura devia pensar em formas mais eficientes de fazer com que o fluxo de veículos fosse bom para todos os comerciantes, e não só para alguns”, afirma o gerente, que também aponta falhas na sinalização da rua. "Por falta de sinalização, da semana passada até agora ocorreram quatro acidentes, um deles com uma mulher que acabou sofrendo fratura na perna", conta.

A favor

Contrapondo às opiniões contrárias, há aqueles que se dizem a favor das mudanças. O empresário André Luis Ribeiro, 30 anos, comemora o aumento do fluxo de veículos em frente a seu comércio de carros, localizado na rua José Sbalchiero. “Minha loja agora é mais vista do que antes, tanto por motoristas como por passageiros de ônibus, que agora param aqui em frente. Acredito essa visibiidade vai atrair mais clientes e tornar minha loja mais conhecida”, conta.

Outro comerciante que acredita que as mudanças foram positivas é Cláudio Sidnei Camargo, 53 anos, proprietário de uma loja de móveis na rua Pedro Pasa. “O movimento de veículos aumentou de forma significativa e isso valoriza o nosso comércio. No começo todo mundo estranha mesmo, pois ainda está meio confuso. Mas com o tempo acredito que todos vão se acostumar”, conta.

Prefeitura

O Linkada News entrou em contato com a Prefeitura de Campina Grande do Sul pedindo explicações sobre as mudanças, mas até o fechamento desta reportagem a mesma não havia respondido o nosso email.

(Fotos: Adilson Santos)


1/1

1/1

1/6

1/1

1/1