495450580893305
top of page
  • Foto do escritorPortal Linkada News

Campina realiza 2ª Caminhada Solidária pelo Direito dos Autistas

Campina Grande do Sul está preparando uma grande ação para celebrar o Dia Mundial da Conscientização do Autismo (2 de abril). A data tem por objetivo difundir informações para a população sobre o Transtorno do Espectro Autista (TEA) e reduzir a discriminação e o preconceito que cercam as pessoas afetadas.


O município vai sediar a 2ª Caminhada Solidária pelo Direito dos Autistas, que contará com a presença de pelo menos 500 participantes. Esta será a segunda caminhada de familiares e amigos dos autistas promovida pela ONG TEAmo Autista, com apoio de toda a sociedade campinense. A organização pede aos participantes que colaborem com a doação de 1 quilo de alimento não perecível ou de um ovos de Páscoa, que serão doados para famílias em situação de vulnerabilidade no município.


“A Caminhada tem como finalidade mobilizar a comunidade, conscientizar sobre o tema do autismo e reivindicar direitos, mas também arrecadar alimentos e doações para a Páscoa”, diz Leide de Souza, gerente da Unidade de Saúde Maria Conceição de Andrade, localizada no Jardim Paulista – bairro de onde partirá a caminhada.

ORIGEM – O Dia Mundial de Conscientização do Autismo foi criado pela Organização das Nações Unidas (ONU), em 18 de Dezembro de 2007. O objetivo da data é alertar as sociedades e governantes sobre esse transtorno do neurodesenvolvimento, ajudando a derrubar preconceitos e esclarecer todas as pessoas.

Foto: Reprodução/Internet

Os Transtornos do Espectro Autista (TEAs) aparecem na infância e tendem a persistir na adolescência e na idade adulta. Na maioria dos casos, eles se manifestam nos primeiros cinco anos de vida. As pessoas afetadas pelos TEAs frequentemente têm condições comórbidas, como epilepsia, depressão, ansiedade e transtorno de déficit de atenção e hiperatividade. O nível intelectual varia muito de um caso para outro, variando de deterioração profunda a casos com altas habilidades cognitivas.


Embora algumas pessoas com TEAs possam viver de forma independente, existem outras com deficiências severas que precisam de atenção e apoio constante ao longo de suas vidas. As intervenções psicossociais baseadas em evidência, tais como terapia comportamental e programas de treinamento para pais, podem reduzir as dificuldades de comunicação e de comportamento social e ter um impacto positivo no bem-estar e na qualidade de vida de pessoas com TEAs e seus cuidadores. As intervenções voltadas para pessoas com TEAs devem ser acompanhadas de atitudes e medidas amplas que garantam que os ambientes físicos e sociais sejam acessíveis, inclusivos e acolhedores.


SERVIÇO CAMINHADA SOLIDÁRIA PELO DIREITO DOS AUTISTAS Data: 02/04 Horário: 14h Concentração: Ginásio de Esportes do Jardim Paulista *Pede-se aos participantes a doação de 1kg de alimento ou um chocolate para a Páscoa


Redação por: Blog do Tupan

Opmerkingen


  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube
bottom of page