495450580893305 Casos envolvendo o jogo Baleia Azul chegam em Campina; veja o que é boato e o que é verídico

Casos envolvendo o jogo Baleia Azul chegam em Campina; veja o que é boato e o que é verídico



Comentários de que adolescentes e jovens, entre 13 e 20 anos, deram entrada no Hospital Angelina Caron, em Campina Grande do Sul, após tentarem tirar a própria vida tomaram conta das redes sociais durante todo o dia de hoje. Os casos, tratados como tentativa de suicídio, teriam ocorrido na noite desta quarta-feira (19) e se tornaram preocupantes quando foram associados a participação no famoso jogo “Baleia Azul”.

Prints de postagens feitas por populares nas redes sociais e áudios testemunhando que um adolescente de 15 anos e uma jovem de 20 foram hospitalizados com vários cortes pelo corpo deram ainda mais ênfase ao assunto. Em uma das publicações, a autora afirmou que “crianças” ingeriram balas de veneno e que as mesmas encontravam-se mortas no Jardim Paulista. Veja a publicação abaixo:


Repercussão na imprensa

Na imprensa, o assunto também ganhou destaque. No portal RicMais, pertencente ao Grupo Ric de Comunicação, por exemplo, a notícia que circulou foi que um adolescente de 15 anos e uma jovem de 20 anos deram entrada no Hospital Angelina Caron com os braços mutilados. Ambos teriam admitido a participação no jogo Baleia Azul, segundo informou o portal, que reportou ainda que a jovem fez uso de medicamentos e o adolescente fugiu do local antes da chegada da polícia.

Em meio a tantas especulações misturadas a indagações que chegavam de internautas, o Linkada News foi atrás de mais informações a respeito do que de fato estava acontecendo. Durante o levantamento dessas informações junto aos órgãos oficiais, nossa reportagem constatou uma série de acontecimentos, que apesar de envolverem o mesmo assunto, acabaram ganhando diferentes versões e confundindo a cabeça dos leitores.

Informações concretas

O que há de concreto até o momento é que os dois jovens deram entrada com ferimentos no Hospital Angelina Caron na noite de ontem. De acordo com a PM, isso consta no relatório confeccionado pelo policial que estava de plantão no local. O setor de Relações Públicas do 22º BPM, no entanto, não especificou o tipo de ferimentos que os dois jovens sofreram. Por se tratar de uma suspeita envolvendo o jogo “Baleia Azul”, o PM que atendeu a ocorrência achou por bem encaminhar o caso ao setor de investigação da Polícia Civil.

Em contato com a Polícia Civil local, a mesma informou que está evitando falar sobre o assunto para não atrapalhar as investigações, mas, adiantou que o caso específico envolvendo a jovem de 20 anos não tem qualquer relação com o jogo. A assessoria de imprensa do hospital também foi contatada e não confirmou qualquer caso, apenas ressaltou que: as investigações e avaliações para determinar se os pacientes tiveram envolvimento com jogo ou não, cabe aos órgãos de segurança responsáveis.

Crianças envenenadas com balas no Jardim Paulista

A respeito do caso envolvendo duas crianças, de 13 e 14 anos, que receberam balas envenenadas, que se mutilaram e que vieram a óbito no Jardim Paulista, a Polícia Civil local, que trata especificamente de crimes desta natureza, informou que desconhece tais acontecimentos no município. O Linkada News tentou ainda contato com um familiar próximo da autora da publicação. O mesmo informou que a publicação foi feita após sua familiar receber a informação de uma terceira pessoa, mas tem dúvidas da veracidade da informação.

Orientações

A orientação repassada pela Polícia, caso seja constatado algum sintoma nos jovens e adolescentes sobre o jogo "Baleia Azul", é que os responsáveis acionem o número 190, da Polícia Militar.

Sintomas

– falas sobre morte e suicídio, mesmo que indiretamente, como vontade de “sumir”, “desaparecer”, “ir embora”; – isolamento (afastar-se da família, dos amigos); – perda do interesse em atividades que costumava fazer; – perda do interesse nas pessoas; – mudanças no hábito de sono (insônia ou aumento das horas dormindo); – mudanças dos hábitos alimentares (perda ou aumento de apetite); – irritabilidade, crises de raiva; – piora no desempenho escolar, recusa a ir à escola; – comportamentos auto-destrutivos (auto-mutilação, uso de álcool e Drogas, exposição a situações de risco); – ter tentativas de suicídio anteriores.


1/1

1/1

1/3

1/1

1/6