Conquista em dose dupla: Pai e filha são campeões no jiu-jitsu paranaense



Ser um dos campeões paranaenses de jiu-jitsu sempre foi um dos objetivos que Jaquesson Luis de Oliveira, de 29 anos, vinha tentando alcançar nos últimos cinco anos. Após várias vezes "batendo na trave", como ele mesmo descreve, o atleta conquistou a medalha na categoria adulto faixa roxa.

Para completar a alegria do atleta, a filha Bianca Gabrielli Peters de Oliveira, de apenas quatro anos, mostrou que vai seguir os passos do pai, e em sua primeira competição sagrou-se campeã na modalidade mirim. Os títulos foram conquistados no Campeonato Paranaense de Jiu Jitsu, realizado no fim de outubro, em Curitiba.

Longe dos tatames, Oliveira atua como agente da Guarda Municipal de Campina Grande do Sul desde 2012, ano em que ingressou na última turma da corporação. Fora do horário de serviço, o atleta divide sua rotina a treinos pesados que duram de três a quatro horas por dia, e ao projeto social da Acomfomi (Associação de Combate à Fome e a Miséria) localizada na Cidade Industrial, em Curitiba, onde ensina cerca de 30 jovens e crianças carentes as técnicas desse esporte que exige força e disciplina.


A paixão por lutas e artes marciais começou por meio de um projeto social desenvolvido na escola, quando ele tinha 12 anos. Lá, Oliveira começou a praticar jiu-jitsu. Na medida que foi se tornando adulto, Oliveira buscou se especializar em outros estilos de lutas como o Karatê, MMA, boxe, muay tay, entre outros.

Hoje, ele carrega em seu currículo a experiência de ser lutador profissional de MMA pela Academia Brazilian Impacto Team, e também a graduação em três estilos de Karatê, sendo também faixa marrom na categoria e faixas preta no karatê estilo shubo-do e Impacto, respectivamente.

O atleta se prepara para mais uma competição que acontece no dia 20 deste mês.

Projeto em Campina Grande do Sul

A partir do ano que vem, Oliveira conta que quer expandir a experiência do projeto que desenvolve em Curitiba para o bairro Santa Rosa, em Campina Grande do Sul. O projeto será desenvolvido em parceria com a Associação de Moradores da região e será dedicado a jovens e crianças a partir dos quatro anos que tenham interesse em se aperfeiçoar nesse esporte.


Ele explica o que motivou em estender o projeto à cidade onde trabalha. “Foi uma forma de retribuir a oportunidade que me foi dada quando criança, de aprender esse esporte. Venho de uma comunidade carente e vejo que o esporte, independente ele qual for, é um importante aliado no combate às drogas e a criminalidade. Nossos jovens por falta de uma atividade acabam sendo influenciados por coisas erradas. Acredito que em Campina há muitos talentos que podem ser futuros campeões nesse esporte também”, completa.

Interessados em conhecer e colaborar de alguma forma com o projeto podem entrar em contato com o Oliveira pelo telefone (41) 9 8450-5430 (WhatsApp) ou no facebook do atleta clicando aqui.

(Fotos: Arquivo Pessoal)


1/1

1/1

1/3

1/1

1/6