495450580893305 Delegacia de Campina Grande do Sul assume caso envolvendo morte de Luana Rosa Saraiva

Delegacia de Campina Grande do Sul assume caso envolvendo morte de Luana Rosa Saraiva



A Delegacia de Campina Grande do Sul assumiu o caso envolvendo a morte da jovem Luana Rosa Saraiva, de 21 anos, crime que completa um ano na próxima semana, dia 11 de fevereiro. As investigações vinham sendo comandadas pela Polícia Civil de Bocaiuva do Sul, município onde o corpo de Luana foi encontrado.

De acordo com a Polícia Civil, o caso foi transferido para a delegacia de Campina Grande do Sul após as investigações apontarem que a jovem foi morta no bairro Barragem, área rural do município, onde a garota estava morando com uma amiga.

“O crime aconteceu de fato aqui no município e o corpo da jovem foi desovado em Bocaiuva do Sul, provavelmente, com a intenção de despistar os possíveis autores do homicídio”, relatou o delegado João Marcelo Renk Chagas, que comanda as investigações.

Cumprindo algumas diligências requeridas pelo Ministério Público, a Polícia Civil convocou nesta semana familiares e amigos próximos de Luana a comparecerem novamente à delegacia. “O caso está praticamente elucidado e pode-se afirmar que é de autoria conhecida, tendo inclusive alguns suspeitos que já se encontram presos. O que estamos juntando nesse processo são alguns documentos burocráticos para que possamos incluir no inquérito e, posteriormente, encaminhá-lo ao Poder Judiciário”, conclui o delegado.

Delegacia busca ouvir outras testemunhas

Mesmo com o caso em seu processo final, a Polícia Civil de Campina Grande do Sul está buscando ouvir outras testemunhas que possam contribuir com o inquérito. Denúncias podem ser passadas através do telefone (41) 3676-1218, ou pessoalmente na rua João Cândido, 448, centro de Campina Grande do Sul.

Crime com mensagem misteriosa

O crime aconteceu em fevereiro de 2016. Na época do homicídio, Luana estava morando na casa de uma amiga no bairro Barragem, área rural de Campina Grande do Sul. O último contato da garota com a família ocorreu através de uma mensagem misteriosa enviada pelo aplicativo WhatsApp à mãe com o seguinte dizer: “Mãe acabou”. Desde então, mãe e filha não se falaram mais.

Quase duas semanas após o sumiço da jovem, a família reconheceu o corpo de Luana no Instituto Médico Legal de Curitiba, no dia 21 de fevereiro.

Repercussão

A notícia do desaparecimento da jovem foi dada em primeira mão pelo Linkada News e mobilizou centenas de leitores, com o objetivo de ajudar a família a reencontrar a jovem. O caso ganhou também repercussão em outros meios de comunicação e foi uma das reportagens mais acessadas durante o ano de 2016 no endereço www.linkadanews.com.

(Foto: Reprodução Facebook)


1/1

1/4

1/7

1/1

1/6

1/5