495450580893305

Homem desparece misteriosamente na Represa do Capivari; família está desesperada



Daniel Gomes Ferreira, 44 anos, saiu de casa no último dia 4 de janeiro para pescar às margens da Represa do Capivari, em Campina Grande do Sul, e desde então encontra-se desaparecido. Desesperada, a família prestou queixa do sumiço de Daniel no dia seguinte, mas ainda aguarda notícias sobre o paradeiro dele.

Em depoimento à Polícia Civil de Campina Grande do Sul, familiares relataram que Daniel teria alugado um chalé, pertencente a um pesqueiro que funciona às margens da represa, local onde o homem passaria alguns dias de descanso. O último contato de Daniel com a família aconteceu na metade do dia 4 de janeiro (quarta-feira), quando ele conversou com a mãe por telefone.

Preocupada com a falta de notícias, a família informou também que ligou para o pesqueiro onde Daniel estava hospedado, e foi informada que o pescador havia saído por volta das 18h, e não retornou mais para o aposento. “Familiares foram até o pesqueiro, e lá, encontraram no quarto o aparelho celular, carteira com dinheiro e documentos pessoais, além do carro que estava fechado na garagem”, contou o delegado responsável em investigar o caso, Marcelo Renk Chagas.

O que mais tem intrigado a polícia no caso é que cães farejadores dos Bombeiros foram usados nas buscas, no entanto, os animais acusaram que Daniel caminhou até às margens da rodovia e sumiu. “É algo muito estranho, pois ele saiu a pé, os cachorros rastrearam os passos dele até a beira da BR-116, dali os cães não mostraram mais nenhum outro caminho que ele possa ter percorrido”, afirmou o delegado, que acredita que o homem possa ter pego carona com alguém.

A Polícia não descarta nenhuma causa para o desaparecimento de Daniel e trabalha com uma linha de investigação bastante extensa, que envolve entre outros motivos, um possível sequestro, roubo, suicídio e até mesmo que o homem esteja passando uns dias na casa de algum conhecido, caso que segundo a polícia, já foi registrado na cidade.

A Polícia Civil do município informou que já solicitou as imagens das câmeras de monitoramento do estabelecimento e também da rodovia, o próximo passo das investigações será ouvir os responsáveis pelo pesqueiro. O homem pelo que foi informado não possui nenhum tipo de vício.

Serviço

Qualquer informação que possa ajudar a Polícia nas investigações podem ser repassada à delegacia local pelo (41) 3676-1135, ou através do WhatsApp da Polícia Civil no (41) 9 9520-3535.


1/1

1/10

1/1

1/1

1/1

1/1

1/1

1/1

1/2