495450580893305 Idosos paranaenses precisam atualizar dados para continuar a receber Benefício de Prestação Continua

Idosos paranaenses precisam atualizar dados para continuar a receber Benefício de Prestação Continua


Atualização de dados pessoais no Cadastro Único para continuar a receber o Benefício de Prestação Continuada (BPC) é necessária para sessenta mil idosos paranaenses. A atualização deve ser feita até o dia 31 de dezembro em um dos 569 Centros de Referência de Assistência Social (Cras) do Estado.

Em Curitiba, são 23.296 beneficiários, e 5.620 pessoas devem procurar uma das 49 unidades atendidas pela prefeitura. De acordo com a prefeitura, todos os beneficiários estão recebendo cartas do INSS, além de um aviso no próprio extrato de pagamento para não perder o prazo.

O cadastro é obrigatório para idosos ou pessoas com deficiência que não estão inscritos no programa do governo federal ou não atualizaram os dados nos últimos dois anos. Para isso é necessário levar documentos como RG, CPF, título de eleitor, comprovante de endereço e matrícula escolar dos jovens de até 17 anos. No caso dos indígenas, o Registro Administrativo de Nascimento Indígena (Rani) também serve como documento. Caso o beneficiário não consiga ir até o local, o cadastro pode ser feito pelo responsável da família mediante autorização. Não é necessário agendar horário.


Na prática, este tipo de benefício dá direito a um salário mínimo mensal – R$ 954 para pessoas com deficiência ou idosos com mais de 65 anos que não conseguiram se aposentar e ou estão incapacitados para o trabalho. O benefício é exclusivo para as famílias cuja renda per capita não passa de um quarto do salário mínimo (menos de R$ 238,50). No Paraná 55% dos beneficiários são pessoas com deficiência e 45% são idosos. Regularizar a situação dentro do prazo é fundamental para que ninguém saia prejudicado.

“O benefício é uma garantia de dignidade às pessoas que não possuem outras fontes de renda. Por isso precisamos alertar quanto às novas exigências para que nenhuma delas fique sem receber”, afirmou a superintendente de assistência social da Secretaria de Estado da Família e Desenvolvimento Social, Alzenir de Fátima Sizanoski, em entrevista à Agência Estadual de Notícias, órgão oficial de comunicação do governo do Paraná.

É importante lembrar que o cadastro sempre deve ser atualizado se a família muda de endereço ou se há alguma alteração na composição familiar. O Cadastro Único é um sistema do governo federal integrado aos municípios para identificar famílias de baixa renda e que permite a inclusão em programas sociais.

(Foto: Marcelo Elias/Gazeta do Povo)


1/1

1/1

1/3

1/1

1/6