495450580893305 Manifestações reúnem mais de 400 mil pessoas em todo Paraná, afirma PM

Manifestações reúnem mais de 400 mil pessoas em todo Paraná, afirma PM



O planejamento prévio da Polícia Militar do Paraná em todo o estado para as manifestações deste domingo (13), que contou com viaturas, policiais, equipes hipomóveis e helicóptero, garantiu a ordem e a segurança públicas nos municípios onde houve algum tipo de ato.

O maior público foi registrado em Curitiba, onde 200 mil pessoas passaram pela manifestação na área central da cidade. Durante o período, apenas uma ocorrência foi registrada na capital: um rapaz de 27 anos foi preso ao ser flagrado com oito foguetes embaixo da blusa, apontando para pessoas. Nas outras 38 cidades do Paraná, os atos transcorreram de forma pacífica, não houve ocorrências. Todos os seis Comandos Regionais da PM (CRPMs) empenharam seus respectivos Batalhões, Companhias Independentes e demais unidades da Polícia Militar para garantir o livre direito de manifestação aos cidadãos de bem. Na capital do estado, onde houve um público histórico os trabalhos foram coordenados pelo 12º Batalhão de Polícia Militar, comandado pelo tenente-coronel Antônio Zanatta Neto, que durante o ato passou orientações de segurança ao público.


"A manifestação foi ordeira, pacífica, com o objetivo de demonstrar a insatisfação do povo com a situação do País.Vimos que houve adesão de famílias inteiras, desde crianças até idosos, movidos por um mesmo ideal", avalia o Subcomandante-Geral da Polícia Militar do Paraná, coronel Arildo Luis Dias, que acompanhou a manifestação em Curitiba no local e na Central de Comando. Ainda de acordo com o coronel, o planejamento antecipado por parte da PM trouxe este excelente resultado: "Apenas uma ocorrência, e de natureza leve, foi registrada em todo o estado e na cidade que reuniu mais pessoas, a capital. No restante do Paraná, sem ocorrências, isso demonstra nossa organização, pois fizemos contato com os organizadores dos eventos, passamos orientações, definimos estrategias juntos e mostramos que estaríamos presentes para proteger a todos os cidadãos bem intencionados e fazer com que o direto de manifestação se cumprisse da melhor maneira possível", destaca o coronel Arildo. Cada cidade do estado optou por fazer a manifestação em um determinado momento, sendo assim, algumas cidades cumpriram o ato no período da manhã e outros à tarde, mas por volta de 18 horas, todo o estado já havia encerrado as atividades."Em todas as cidades, ode a PM conseguiu levantar informações de que haveria manifestação foram empregados efetivos para acompanhar, seja por meio do Serviço de Inteligência ou ostensivo fardado, porém respeitando sempre o direito do cidadão", frisa coronel Arildo. CENTRAL DE COMANDO - Além da Central de Comando Móvel instalada na praça principal de Curitiba, coordenada pelo 12º Batalhão de Polícia Militar, durante toda a manifestação, a Polícia Militar teve apoio do Centro Integrado de Comando e Controle Regional (CICCR), situado no 5º andar da Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária (SESP), na obtenção de informações e monitoramento do deslocamento de público nas principais cidades paranaenses. A troca de informações entre as equipes policiais que estavam nos locais dos eventos e os controladores do CICCR favoreceu a agilidade e eficiência do policiamento preventivo. Na capital, a concentração do público foi na Praça Santos Andrade às 14 horas. Dali, os manifestantes seguiram pela Avenida Marechal Deodoro da Fonseca e Rua XV de Novembro até a Boca Maldita, próximo à Praça Osório, onde permaneceram até por volta de 18 horas, quando começou a dispersão natural das pessoas e a operação da PM se encerrou. Todo o trajeto do público foi acompanhado pelas equipes do Batalhão de Polícia de Trânsito (BPTran) e pelos demais policiais militares da operação, de todas as unidades da capital. O trânsito nas ruas da região foi desviado e os motoristas foram orientados a procurar caminhos alternativos. O policiamento foi reforçado por equipes policiais da Radiopatrulha (RPA), da Rondas Ostensivas Tático Móvel (ROTAM), da Rondas Ostensivas com Apoio de Motocicletas (ROCAM), pelo Serviço Reservado e pela Companhia GIRO (Grupo de Intervenção Rápida e Ostensiva). O 12º Batalhão batalhão contou ainda com uma base de comando e monitoramento móvel, com o qual o acompanhou o deslocamento dos manifestantes. Houve patrulhamento a pé, com motos, viaturas, módulos móveis e até com um helicóptero do Batalhão de Polícia Militar de Operações Aéreas (BPMOA). "O BPMOA contribuiu com imagens e visualização em tempo real dos acontecimentos na capital, além de ajudar na contagem de público, pois possui equipamentos de monitoramento privilegiado", destaca o coronel. O policiamento também teve apoio do Batalhão de Operações Especiais (BOPE), além de equipes hipomóveis do Regimento de Polícia Montada (RPMon). Segundo o Comandante do 1º CRPM, que atende a capital paranaense, coronel Péricles de Matos, os cidadãos tiveram o livre direito de manifestar sua opinião e a segurança foi garantida pela PM. "Acompanhamos todo o deslocamento de público e contabilizamos 200 mil participantes por meio de uma análise do Centro de Comando e Controle Regional (CICCR) e outras ferramentas já tradicionais na Polícia Militar. Mesmo com o número elevado de pessoas, a PM cumpriu seu papel e garantiu a ordem e a segurança públicas", disse. Cidades do Paraná que registraram público nas manifestações: - Curitiba: 200 mil; um rapaz de 27 anos foi encaminhado por estar com foguetes embaixo da blusa; - Londrina: 90 mil pessoas; sem ocorrências; - Cascavel: 8 mil pessoas; sem ocorrências; - Ponta Grossa: 20 mil pessoas; sem ocorrências; - Guarapuava: 4 mil pessoas; sem ocorrências; - Foz do Iguaçu: 7 mil; sem ocorrências; - Maringá: 50 mil pessoas; sem ocorrências; - Jacarezinho: 50 pessoas; sem ocorrências; - Carlópolis: 80 pessoas; sem ocorrências; - Cornélio Procópio: 500 pessoas; sem ocorrências; - Astorga: 200 pessoas; sem ocorrências; - Mandaguari: 200 pessoas; sem ocorrências; - São Jorge do Ivaí: 80 pessoas; sem ocorrências; - Goioerê: 750 pessoas; sem ocorrências; - Paranavaí: 2 mil pessoas; sem ocorrências; - Campo Mourão: 2,5 mil pessoas; sem ocorrências; - Medianeira: 600 pessoas; sem ocorrências; - Itaipulândia: 100 pessoas; sem ocorrências; - Marechal Cândido Rondon: 1 mil pessoas; sem ocorrências; - Palotina: 600 pessoas; sem ocorrências; - Terra Roxa: 100 pessoas; sem ocorrências; - Guaíra: 300 pessoas; sem ocorrências; - Arapongas: 3.500 pessoas; sem ocorrências; - Cianorte: 2,3 mil pessoas; sem ocorrências; - Pato Branco: 3 mil pessoas; sem ocorrências (apenas cinco pessoas do MST tentaram falar de ordens mas foram convidadas a se retirar pelos próprios manifestantes); - Coronel Vivída: 500 pessoas; sem ocorrências; - Toledo: 500 pessoas; sem ocorrências; - Santo Antônio da Platina: 400 pessoas; sem ocorrências; - Loanda: 200 pessoas; sem ocorrências; - Irati: 1000 pessoas; sem ocorrências; - Francisco Beltrão: 1000 pessoas; sem ocorrências; - Dois Vizinhos: 100 pessoas; sem ocorrências; - Quedas do Iguaçu: 60 pessoas; sem ocorrências; - União da Vitória: 2 mil pessoas; sem ocorrências; - Assis Chateubriand: 60 pessoas; sem ocorrências; - Santa Helena: 20 pessoas; sem ocorrências; - Nova Santa Rosa: 10 pessoas; sem ocorrências; - Corbélia: 100 pessoas; sem ocorrências; - Quedas do Iguaçu: 60 pessoas; sem ocorrências;

(Fotos: Cabo Valdemir da Luz/PMPR)


1/1

1/1

1/1

1/1

1/1

1/7

1/5

1/6