Manifestantes pedem redução do salário dos vereadores após sessão na Câmara de Quatro Barras


A sessão na Câmara Municipal de Quatro Barras dessa segunda-feira (1º) terminou com um debate acalorado entre vereadores e um grupo de manifestantes.

O grupo de aproximadamente 15 pessoas surpreendeu os vereadores no final da sessão ao apresentaram uma proposta de redução no salário do parlamentares para R$ 880,00 (um salário mínimo) para a próxima legislatura, com vigência a partir de 1º de janeiro e término em 31 de dezembro de 2020.

De acordo com um dos participantes do protesto batizado de “Abaixa Quatro Barras”, Nei Plawiak, os vereadores aprovaram há 15 dias o aumento dos próprios salários, causando revolta entre os manifestantes. “Em países avançados a função de vereador é voluntário. Vereador não é profissão, vereador tem que vir aqui fiscalizar e propor leis. Eles não precisam ganhar R$ 7 mil por mês para estarem uma vez da semana aqui na sessão”, disse ele.

Tentando acalmar os ânimos, o presidente da Câmara, vereador Antonio Cezar Creplive (Totó), disse defender a ideia proposta pelo grupo. “Minha opinião é que cargos de prefeito, vice-prefeito e cargos em comissões na prefeitura e na Câmara sejam voluntariados, não só aqui, mas em todo país”, afirmou.

Para atender a reivindicação popular, Totó disse que vai tentar marcar uma reunião com os manifestantes de acordo com a agenda das comissões para debater o assunto, mas adiantou que esse ano a fixação de salários não deve mais ser debatido em Plenário.


(Vídeo: Adilson Santos e Luis Linkada)


1/1

1/1

1/3

1/1

1/6