495450580893305

Medicamentos ficam até 4,76% mais caros a partir desta sexta-feira



O Governo Federal autorizou o reajuste de 19 mil medicamentos disponíveis no mercado varejista a partir desta sexta-feira (31). Os novos valores foram publicados no Diário Oficial da União e variam de 1,36% a 4,76%, conforme o Conselho de Ministros da Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (Cmed).

De acordo com a resolução, o reajuste máximo permitido é o seguinte: nível 1: 4,76%; nível 2: 3,06; e nível 3: 1,36%. O Cmed é um órgão do governo integrado por representantes de vários ministérios. Esse foi o menor aumento em comparação aos últimos três anos. Em 2016, por exemplo, o valor autorizado foi de 12,5%. Em 2015, de 7,7%, e em 2014 de 5,68%.

O Sindicato da Indústria Farmacêutica (Sindusfarma) informou, por meio de nota, que os índices de reajuste não repõem a inflação passada, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) no acumulado de 12 meses, de março de 2016 a fevereiro deste ano.

“Do ponto de vista da indústria farmacêutica, mais uma vez os índices são insuficientes para repor os custos crescentes do setor nos últimos anos”, diz a nota.

Segundo o Sindusfarma, o reajuste anual de preços fixado pelo governo poderá ser aplicado em cerca de 19 mil medicamentos disponíveis no mercado varejista brasileiro.

(Foto: Ilustrativa)


1/1

1/10

1/1

1/1

1/1

1/1

1/1

1/1

1/2