495450580893305 "Nunca vi, nem comi, eu só ouço falar", diz delegado de Quatro Barras sobre sequestro de c

"Nunca vi, nem comi, eu só ouço falar", diz delegado de Quatro Barras sobre sequestro de c


O delegado-titular da Delegacia de Polícia Civil de Quatro Barras, Luis Carlos de Oliveira, usou a tribuna livre da Câmara Municipal na última sessão realizada segunda (07), para esclarecer os fatos envolvendo os boatos sobre sequestro de crianças na região, e fez duras criticas ao que chamou de 'mentiras de Whatsapp', se referindo aos inúmeros comentários sobre os supostos raptos em toda região metropolitana.

Bastante enfático, o delegado não poupou nem mesmo um integrante do Conselho Municipal de Segurança da cidade, que segundo a autoridade policial, estava propagando o pânico e orientando de maneira errônea os cidadãos a fazer boletim de ocorrência de falsas tentativas de sequestro de crianças.

Além do discurso, o delegado também apresentou um vídeo com imagens fortíssimas do caso de uma mulher brutalmente assassinada por populares no litoral de São Paulo, após a elaboração de um retrato falado da suposta mulher que sequestrava crianças para usá-las em ritual de magia-negra.

Usando o vídeo como ilustração, o delegado foi além e apresentou um dossiê de mensagens de aplicativos replicados por populares e afirmou que está investigando todas para uma possível prisão, caso algo semelhante venha acontecer por conta dos "boatos".

Oliveira contou ainda detalhes sobre a afirmação de teria se negado a fazer um boletim de ocorrência à uma mulher, explanando como e o motivo ao qual não fez o B.O.

Finalizando sua fala, o delegado citou uma música do sambista Zeca Pagodinho, da música "Caviar" que em seu refrão faz uma sátira com a própria falta de conhecimento sobre um determinado assunto. - "Nunca vi, nem comi, eu só ouço falar".


(Imagens: Luis Linkada)


1/1

1/1

1/3

1/1

1/6