495450580893305

Obras na região do Atuba alteram rotina de motoristas e moradores


Desde a última semana, trafegar pela BR-116, trecho entre a Vila Liberdade e Trincheira do Atuba, em Colombo, tem exigido paciência e atenção redobrada dos motoristas. Isso porque a concessionária Autopista Régis Bittencourt está realizando uma obra de reparo na ponte sobre o Rio Atuba, no km 19, divisa com o município de Curitiba. A alteração de tráfego tem mexido também com a rotina dos moradores do entorno.

A obra considerada complexa deve durar pouco mais de um mês, 40 dias ao todo, conforme informações repassadas pela própria concessionária. Em comunicado, a Autopista não informou o motivo da obra, mas segundo alguns operários, a estrutura da ponte estaria danificada devido a correnteza do rio. A conclusão da obra esta prevista para o dia 13 de fevereiro.

Até lá, o trânsito de veículos deve ficar parcialmente interditado na pista sentido Curitiba. O remanejamento do tráfego se inicia logo na região da Vila Liberdade, em Colombo. Em horários de pico, pela manhã e a tarde, são registrados congestionamentos no trecho, com filas que chegam até dois quilômetros. Devido a lentidão nesses horários, motoristas levam em média 20 minutos para concluírem o percurso que em tráfego normal fariam em até cinco minutos.

Mas o que tem tirado mesmo a paciência dos usuários são os bloqueios nos principais acessos à BR-116, na região próxima a Trincheira do Atuba. Motoristas que normalmente utilizam a trincheira para acessar Colombo, Pinhais ou fazer o retorno, agora são obrigados a optarem por caminhos alternativos. O mesmo acontece para quem deseja pegar a rodovia sentido Curitiba. Muitos condutores acabam sendo pegos de surpresa quando se deparam com os obstáculos pelo caminho.

Alguns motoristas ainda se arriscam em driblar as colunas e pedras de concreto, como aconteceu com o condutor desta blazer, que foi flagrado por nossa reportagem passando por cima dos obstáculos para poder acessar a BR-116. Num vídeo feito por um internauta, outros flagrantes parecidos foram registrados no mesmo local. Nele, até um caminhão sobe no canteiro central. Enquanto grava, o internauta reclama da falta de sinalização na região.

As reclamações se estendem também aos moradores da rua Pedro Alexandre Broto, que devido ao bloqueio da marginal que dá acesso a BR-116, o tráfego de veículos se tornou intenso no bairro. A rua que não possui asfalto acaba sendo um dos caminhos alternativos de boa parte dos motoristas. Veículos menores como motos, ainda conseguem ultrapassar as barreiras.

Outro problema decorrente do grande fluxo de veículos é a poeira provocada pela passagem de carros e caminhões. Há também aqueles motoristas apressados que excedem a velocidade. Até acidentes já aconteceram por lá, conforme mostram as marcas deixadas nas próprias barreiras de concreto colocadas pela concessionária. Pequenos bloqueios improvisados pelos moradores foram a alternativa para inibir a alta velocidade e a poeira.

A Autopista Régis Bittencourt informou, que com o apoio da Polícia Rodoviária Federal, vem disponibilizando todos os recursos necessários para minimizar o impacto da interferência no fluxo de veículos. Sobre a falta de sinalização, a concessionária informou ainda que está dando orientação aos usuários por meio de sinalização no local e com as equipes operacionais.

Veja o vídeo desta reportagem abaixo:



1/1

1/10

1/1

1/1

1/1

1/1

1/1

1/1

1/2