495450580893305

Operação de busca e salvamento na Serra do Mar vira caso de polícia

Da Redação com assessoria


Foto: Divulgação

Um atendimento feito pelo Corpo de Bombeiros da Polícia Militar do Paraná acabou virando caso de polícia no último domingo (15). A equipe se deslocou até a região do Pico Paraná, após ser acionada pelo telefone de emergência 193, para prestar socorro a uma suposta vítima.


De acordo com os bombeiros, durante a triagem da ocorrência feita pelo Grupo de Operações de Socorro Tático (GOST), o solicitante relatou que um dos integrantes do grupo havia sofrido uma queda no local conhecido como Abrigo II, na trilha que dá acesso ao Pico Paraná, e que devido as fortes dores nas costas estaria impossibilitado de realizar o retorno.


Devido à distância e a dificuldade da trilha, foi necessário o acionamento de uma aeronave do Batalhão de Polícia Militar de Operações Aéreas (BPMOA) para deslocar os bombeiros de forma mais ágil para um primeiro atendimento. Por causa dos fatores climáticos desfavoráveis não foi possível deixar os militares no local exato, sendo deixados em um local conhecido como Getúlio, aproximadamente metade do trajeto, de onde seguiriam a trilha a pé em direção às vítimas.


Em paralelo, uma segunda equipe do GOST foi mobilizada por via terrestre para caso necessário, apoiar na logística de evacuação com maca e até mesmo com materiais de pernoite para vítima.


Quando a segunda equipe se preparava para iniciar a subida, foram informados que a suposta vítima já havia terminado a trilha com seus colegas e que estavam em um estabelecimento comercial próximo, preparando-se para retornar as suas residências.


O oficial de Busca e Salvamento do GOST foi até o estabelecimento comercial, onde localizou a tal “vítima”, e quando questionada sobre os fatos, relatou que passou pelos bombeiros que estavam na trilha, não se identificou como solicitante dos serviços do Corpo de Bombeiros, e ainda, informou falsamente aos bombeiros que ainda havia uma suposta vítima que estaria os esperando no local conhecido como Casa de Pedra.


Diante dos fatos, o oficial de Busca e Salvamento do GOST pediu o auxílio de uma equipe da Polícia Militar, a qual conduziu o grupo para elaboração de Termo Circunstanciado, por, em tese, terem cometido crime previsto na legislação penal brasileira.

1/1

1/10

1/1

1/1

1/1

1/1

1/1

1/1

1/2