495450580893305 Operação do GAECO prende Guardas Municipais e PMs

Operação do GAECO prende Guardas Municipais e PMs


Da Redação

A operação do GAECO (Grupo de Atuação de Combate ao Crime Organizado), batizada como "Quimera", desencadeada nesta quinta- feira (18), resultou na prisão de sete Guardas Municipais de Colombo, 1 de São José dos Pinhais e dois Policiais Militares do 22.º Batalhão. Ao todo, foram expedidos pela 2.ª Vara Criminal de Colombo, 56 mandados de busca e apreensão e 27 de prisão temporária. Os mandados de prisão incluem os oito GMs (Sete de Colombo e um de São José dos Pinhais), além dos dois policiais militares. A operação que já está em curso há seis meses, reuniu 204 homens da Polícia Civil, Militar e do Gaeco, e as prisões começaram desde as primeiras horas da manhã. A Sesp (Secretaria do Estado de Segurança Pública) cedeu 51 viaturas e policiais do Bope (Batalhão de Operações Especiais), da Rotam (Rondas Ostensivas Tático Móvel), do serviço reservado e das corregedorias da Polícia Militar e Civil. Até as 11 horas, 17 pessoas haviam sido presas, entre elas os guardas e os PMs.

O Gaeco abriu as investigações em Julho deste ano, quando denúncias de corrupção policial chegaram até o órgão. Entre as principais denúncias comprovadas de forma contundente, segundo o Gaeco, está a de que policiais militares e os guardas municipais presos aprendiam armas e, muitas vezes, as revendiam para os próprios acusados, após receberem valores altos pelo equipamento. Um dos pms preso foi flagrado com droga dentro do carro. O Gaeco também investiga as denúncias recebidas contra policiais civis, mas ainda não conseguiu levantar provas suficientes do envolvimento deles.

Para o novo secretário de segurança do Paraná, Fernando Francischini- que passou a manhã na sede do Gaeco, no bairro Ahú, acompanhando a operação- os tempo mudaram, e não haverá tolerância com corrupção policial. “Estou aqui para demonstrar que acabou aquele tempo de picuinha entre Gaeco e Polícia Militar e Polícia Civil. Estamos todos juntos nessa missão de combater a corrupção policial. Todos os corruptos serão expurgados. Vocês (imprensa) me verão muitas vezes aqui. É o início de novos tempos na segurança pública do Paraná, como determinou o governador Beto Richa. E se necessário, prendendo policiais envolvidos com a criminalidade. Já determinei ao comandante-geral da Polícia Militar, o afastamento imediato dos policiais presos durante a ação. A operação marca um novo momento da relação entre a Secretaria da Segurança Pública e o Ministério Público na parceria para combater a corrupção e a criminalidade no Estado”, diz Francischini.

(Foto: Divulgação)

#operaçãodogaecoprendeguardasmunicipaisepmsnaregião

1/1

1/1

1/3

1/1

1/6