495450580893305 Polícia Civil de Campina identifica dois suspeitos da morte de motorista no Santa Rita

Polícia Civil de Campina identifica dois suspeitos da morte de motorista no Santa Rita



As investigações sobre a morte do motorista Enoque Pereira, 41 anos, ocorrido em abril do ano passado, no bairro Santa Rita, em Campina Grande do Sul, ganharam um novo episódio nos últimos dias, com a prisão de dois suspeitos de envolvimento no crime. Na época, a vítima foi executada a tiros em sua residência, na rua Pedro Stelmack, quase esquina com rua Aurélio Simione.

Nesta terça-feira (30) a Polícia Civil do município, comandada pelo delegado João Marcelo Renk Chagas, cumpriu cinco mandados de busca e apreensão nas cidades de Campina Grande do Sul e Curitiba, onde em uma das operações obteve êxito em localizar e deter um dos envolvidos no caso.

Valtenecir Machado, 37 anos, vulgo “Véio” foi preso no bairro Boa Vista, na capital. Já o outro suspeito identificado como Leandro Almeida Barbosa, de 26 anos, conhecido como “Boquinha”, permanecia preso na unidade policial desde o dia 21 de maio. Barbosa foi preso em flagrante por agentes da Guarda Civil Municipal após ser flagrado portando um revólver calibre 38. O armamento foi apreendido e encaminhado à perícia para verificar se o revólver foi o mesmo utilizado para execução da vítima.

Motivação do crime


De acordo com as investigações, o crime foi motivado porque o motorista não concordava que as filhas mantivessem contato com os dois suspeitos. “Pelo fato dos dois serem usuários de drogas, o pai sempre se mostrou preocupado com as filhas e nunca concordou que elas saíssem com eles”, comentou o delegado João Marcelo Renk Chagas.

No dia do crime, a vítima foi chamada pelo atirador no portão de casa. “Assim que o homem se aproximou do veículo, o motorista desceu e efetuou vários disparos contra ele. Um dos tiros acertou o peito e os demais as costas. Ele correu em direção à sua casa, mas acabou caindo morto no interior da residência”, complementou o delegado.

Um laudo do IML comprovou o relatado pela investigação, de que a causa da morte de Enoque foi lesão cardíaca provocada por três projéteis de arma de fogo. Os dois suspeitos permanecem presos na delegacia local e devem responder por homicídio qualificado, em que a pena varia de 12 a 30 anos de prisão.

(Fotos: Polícia Civil e Adilson Santos)


1/1

1/4

1/7

1/1

1/6

1/5