495450580893305

Polícia cumpre mandados de prisão de trio suspeito de envolvimento na morte de frentista em Campina



A Polícia Civil de Campina Grande do Sul cumpriu, na última semana, mandados de prisão preventiva por latrocínio de três suspeitos de envolvimento na morte do frentista Gabriel Henrique Mineiro da Costa, 20 anos, ocorrida em agosto de 2015. O jovem popularmente conhecido como “Biel” morava sozinho no bairro Palmeirinha e foi executado a facadas dentro de casa. O caso foi noticiado pelo Linkada News. CLIQUE AQUI para rever a reportagem.

Inicialmente, a Polícia considerou o crime como homicídio, mas no decorrer das investigações, foi verificado que se tratava de um latrocínio (roubo seguido de morte), já que a vítima teve pertences da casa roubados, além do dinheiro reservado pelo frentista para pagamento do aluguel da casa em que morava. As investigações foram iniciadas e comandadas pelo ex-delegado da cidade, João Marcelo Renk Chagas, que hoje está à frente da Delegacia de Araucária.

Os mandados de prisão de Anderson Ribeiro Ramos (33), David da Silva Ramos (23) e Daniele Lima (19) foram expedidos pelo Ministério Público após a polícia levantar provas e ouvir testemunhas sobre o crime.

Morte motivada por briga

As investigações policiais concluíram que a morte de “Biel” foi motivada por uma briga que aconteceu numa adega de bebidas na área central da cidade, um dia antes dele ser assassinado. “A vítima se envolveu numa discussão com alguns rapazes que bebiam no estabelecimento comercial. Não houve, no entanto, agressão física por parte dos envolvidos”, contou o superintendente Job de Freitas, da delegacia local em conversa com nossa reportagem.

Após a discussão, Gabriel foi embora e na manhã seguinte foi encontrado morto no interior de casa por vizinhos, que deram falta do jovem que trabalhava como frentista num posto de combustível da região. Dois dos envolvidos no latrocínio, Diego de Matos, 24 anos e Paulo Ricardo de Matos, 22 anos, acabaram mortos meses depois na mesma adega em que a confusão ocorreu. O caso também foi notícia no Linkada News. CLIQUE AQUI para rever a reportagem.

Diego e Paulo eram irmãos e foram executados com disparos de arma de fogo. “Nos foi informado que a motivação para este duplo homicídio foi justamente por represália à morte de Gabriel, provavelmente cometido por colegas dele. A moça que também foi presa, na época, era casada com o Paulo, um dos irmãos que foram alvejados”, disse Job de Freitas.

Trio nega participação no crime

O trio preso nega qualquer participação direta no crime. À Polícia, Anderson confirmou que um dia antes do latrocínio estava bebendo na presença de Gabriel, mas afirma não ter relação com a execução. David relatou que na época do crime estava morando em Itaperuçu, na Região Metropolitana de Curitiba. Já Daniele também confirmou que estava na companhia do marido Paulo no dia da confusão, mas que só ficou sabendo da morte de Gabriel na manhã seguinte, pois o casal morava bem próximo à residência do frentista.

Os três seguem presos à disposição da Justiça na Delegacia de Campina Grande do Sul. Mesmo considerando como concluído o caso, a Polícia do município ainda vai prosseguir com as investigações com o objetivo de localizar outras pessoas que possam ainda estar envolvidas.

(Foto: Adilson Santos e arquivo pessoal)


1/1

1/10

1/1

1/1

1/1

1/1

1/1

1/1

1/2