495450580893305 Polícia de Campina abre inquérito para investigar duplo homicídio ocorrido em bar no fim de semana

Polícia de Campina abre inquérito para investigar duplo homicídio ocorrido em bar no fim de semana



O delegado Antônio Macedo de Campos Junior, de Campina Grande do Sul, abriu inquérito nesta semana para investigar as mortes de dois homens após serem baleados num bar no bairro Eugênia Maria no último sábado (19). Uma das vítimas morreu no local e a outra deu entrada no Hospital Angelina Caron, mas veio a óbito na terça-feira (22). O autor dos disparos também foi hospitalizado e segue sem previsão de alta.

João Ricardo Lopes, conhecido como “Seis Dedos” e Vanderlei Rodrigues de Oliveira estavam num bar no bairro Eugênia Maria, quando um rapaz adentrou o estabelecimento e disparou contra Lopes. O suspeito de ser o autor do crime foi identificado como Michel. Ele fugiu em uma moto, mas foi perseguido, baleado e atropelado em seguida. Michel segue internado em estado grave no Hospital Angelina Caron, em Campina Grande do Sul.

De acordo com as investigações iniciais da Polícia, o alvo do atirador seria unicamente o “Seis Dedos”. “O atirador entrou de capacete no bar e disparou várias vezes em direção a João Ricardo. O outro homem que foi baleado, Vanderlei, não tinha nada a ver com a situação segundo o que já levantamos de informações até o momento”, falou o superintendente Job de Freitas, da Delegacia de Campina Grande do Sul, ao Linkada News.

O superintendente informou ainda que no dia do crime, “Seis Dedos” foi atingido por quatro disparos e Vanderlei levou um tiro na região da virilha. “Os elementos que balearam e atropelaram o atirador seriam amigos do “Seis Dedos”. Eles estavam com ele no bar e saíram na hora atrás do Michel para poder pegá-lo”, contou.

As investigações seguem tentando levantar mais ações e depoimentos de testemunhas que presenciaram o crime. A Polícia Civil deve pedir a prisão preventiva de Michel pelo duplo homicídio assim que ele receber alta hospitalar.

Qualquer informação que possa ajudar nas investigações pode ser repassada à Polícia Civil de forma anônima pelo telefone (41) 3676-1135.

(Foto: Colaboração)


1/1

1/1

1/3

1/1

1/6