495450580893305 Polícia Federal deflagra operação em Colombo e vereador pede explicações à Previdência Municipal

Polícia Federal deflagra operação em Colombo e vereador pede explicações à Previdência Municipal



A Polícia Federal (PF) fez no último dia (12), em Colombo, uma operação batizada de “Encilhamento” com o objetivo de apurar fraudes na Previdência Municipal. Em paralelo, policiais federais e auditores fiscais da Receia Federal desencadearam a mesma operação em 28 municípios em outros cinco estados como: São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Mato Grosso e Santa Catarina. No Paraná, além de Colombo, a operação teve como alvo a cidade de Pinhais, onde foram cumpridos dois mandados de busca e apreensão em cada município.

Segundo as informações divulgadas pelo portal G1, havia um esquema em que os administradores criavam empresas de fachada e aplicavam o dinheiro dos trabalhadores de organizações públicas. No entanto, as empresas não possuíam capital e o trabalhador, que esperava o dinheiro para a aposentadoria, acabava com prejuízo, já que as empresas iam à falência sem ter recursos para o pagamento.

Estão sendo investigados, até o momento, 13 fundos de investimento. No 2º semestre de 2016 foi constatada a existência de R$ 827 milhões em apenas oito destes fundos, dinheiro para o pagamento das aposentadorias dos servidores municipais. Os fundos de investimento com debêntures sem lastro emitidas por empresas de fachada podem ultrapassar o valor de R$ 1,3 bilhão. A debênture é um título de dívida que gera um direito de crédito ao investidor.

Diante da repercussão nacional do caso, o vereador de Colombo, Anderson Prego (PT), encaminhou na última semana um ofício à superintendência da Colombo Previdência solicitando uma reunião com a direção do órgão para mais esclarecimentos. Conforme informado no ofício, a PF levou computadores e documentos da sede da Colombo Previdência com o objetivo de apurar fraudes.

Nossa reportagem procurou a administração municipal para tratar sobre o assunto, mas até o fechamento desta reportagem ninguém se manifestou.

(Foto: Divulgação)


1/1

1/4

1/7

1/1

1/6

1/5