495450580893305

Posto da PRE de Quatro Barras é alvo de operação do Gaeco; policiais são suspeitos de extorsão



O Grupo de Atuação de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), cumpriu na manhã desta terça-feira (19), 22 mandados de condução coercitiva e busca e apreensão, sete deles, contra policiais rodoviários estaduais lotados nas cidades de Quatro Barras e Almirante Tamandaré.

Segundo as investigações, os policiais são suspeitos de extorquir motoristas que estavam com irregularidades no veículo ou na Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Os envolvidos prestaram depoimento na sede do Gaeco, em Curitiba.

Um dos postos alvo da operação batizada de “Via Calma” foi o instalado na Estrada da Graciosa, em Quatro Barras. No local, os agentes do Gaeco apreenderam R$ 2 mil em dinheiro. Outros valores, documentos e materiais diversos como telefones celulares também foram apreendidos em outros endereços residenciais em Curitiba, Paranaguá, Araucária, Colombo e Almirante Tamandaré, este último que também possui posto policial rodoviário.

Investigações

De acordo com o Gaeco, as investigações tiveram início em março deste ano, após denúncia de que policiais rodoviários realizavam blitzes para abordar veículos que estavam em situação irregular (no Detran, por exemplo) e liberar indevidamente. As investigações do Gaeco, ligado ao Ministério Público do Paraná (MP-PR), apuram crimes de corrupção passiva, prevaricação e organização criminosa.

Além dos sete suspeitos, os mandados envolvem ainda alguns oficiais da corporação que atuavam nos postos do Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRv) de Quatro Barras (Posto Graciosa/PR-410) e Almirante Tamandaré (Posto Cabo César/PR-092), na Rodovia dos Minérios.

Parecer da BPRv

Em nota, a Polícia Militar Rodoviária informou que policiais denunciados devem ser afastados de suas funções até a conclusão das investigações. Caso seja confirmada as denúncias, medidas cabíveis serão tomadas, diz o comunicado.

Na tarde desta terça-feira, o subcomandante da Polícia Rodoviária do Paraná (BPRv), major Mário Henrique do Carmo, se pronunciou a respeito das investigações durante o lançamento da operação “Rodovida”. Carmo lamentou o desvio de conduta apresentado pelos policiais e confirmou a nota divulgada anteriormente, de que os servidores estaduais serão afastados de suas funções.

(Foto: Google Maps)


1/1

1/10

1/1

1/1

1/1

1/1

1/1

1/1

1/2