495450580893305 Prefeitura interdita circo no Eugênia Maria; dono e moradores se revoltam

Prefeitura interdita circo no Eugênia Maria; dono e moradores se revoltam



O Circo Nacional, que se instalou recentemente no bairro Eugênia Maria, em Campina Grande do Sul, foi interditado pela Prefeitura Municipal após constadas irregularidades.

O circo chegou no bairro na última quarta-feira (29) e foi aberto ao público na sexta-feira (1º). No mesmo dia, fiscais da prefeitura foram até o endereço e isolaram o local.Com isso, os espetáculos que estavam sendo anunciados em carro de som pela região tiveram que ser cancelados.

Procurado pelo Linkada News, o responsável pelo circo, Ramon Fernando da Silva, disse que a prefeitura tornou o processo de emissão de alvará burocrático demais. “Há dois anos o circo percorre a região de Curitiba, e essa foi a única cidade que me impediu de exercer minhas atividades profissionais, fazendo inúmeras exigências. Disseram se eu colocasse o circo para funcionar eu iria preso, e se não bastasse me aplicaram uma multa. Não sei como que vou pagar esse valor, pois eu não posso trabalhar”, relatou o empresário.


Neste domingo (3) moradores chegaram a ir até o local a fim de assistirem o espetáculo que estava previsto para o fim da tarde, mas logo na entrada, os espectadores foram informados que as apresentações não iriam mais acontecer. Ao lado do portão de acesso, apenas um cartaz escrito à mão com a seguinte frase: "O prefeito não quer que o circo trabalhe. Não haverá espetáculo".

“Eu moro há mais de 30 anos aqui no bairro e nunca tem uma opção de lazer para meus filhos, e quando tem não pode funcionar”, desabafou a dona de casa Luciana de Oliveira, que levou os dois filhos, de 5 e 9 anos, para assistir o Show da Pepa e da Galinha Pintadinha. "Palhaçada o que fizeram. A prefeitura devia se preocupar em terminar as obras da praça aqui do bairro que está abandonada", disse outro morador, fazendo referência à Praça do CEU que está localizada a poucos metros do circo.

Em contato com a Prefeitura Municipal, a mesma informou por meio de nota que a interdição se deu porque o estabelecimento não possui alvará de funcionamento e nem autorização do Corpo de Bombeiros. Os responsáveis pelo circo também não apresentaram um engenheiro responsável, procedimento exigido pelo Departamento de Fiscalização que preconiza a segurança e a integridade física da população.

Enquanto busca regularizar sua situação junto à prefeitura, o dono do circo se diz entristecido pelo ocorrido. “Nasci e me criei no ambiente circense. Às vezes dá vontade de parar, pois a gente não recebe nenhum incentivo do Poder Público”, completa.

(Fotos: Adilson Santos)


1/1

1/1

1/3

1/1

1/6