495450580893305

Quatro Barras: pastor é acusado de assediar menina de 13 anos

Da Redação com informações de Tribuna da Massa


Um pastor está sendo acusado de assediar uma menina de 13 anos, moradora de Campina Grande do Sul. A denúncia foi divulgada em uma reportagem no jornal Tribuna da Massa, durante a última quinta-feira (14). A mãe da vítima descobriu tudo após a própria filha contar a ela sobre as mensagens trocadas com o pastor. A menina entregou o celular à mãe e deixou que ela continuasse a conversa com o homem e, com o passar dos dias, a desconfiança da mulher sobre as intenções do pastor só aumentavam.


O pastor teria conhecido a menina por intermédio da avó dela, que frequentava a igreja onde ele congrega e também porque ela já tinha uma relação de confiança com ele. À reportagem do Tribuna da Massa, a mãe da adolescente disse não saber como o homem conseguiu o contato da filha dela, mas que logo desconfiou das atitudes dele ao ver as mensagens que ele enviava à menina.


Em prints das mensagens divulgadas pela reportagem, o pastor a princípio pergunta se ele e a menina podem ser amigos, em seguida, puxa outros assuntos. Nas mensagens posteriores ele começa a chamá-la de “gata” “princesa” e pergunta se a mesma costuma apagar as conversas, receoso do que os pais pensariam das mensagens trocadas entre os dois. Entre uma e outra mensagem enviada à menina, o pastor faz também convites a ela.


Após alguns dias de conversa, a mãe da adolescente consegue marcar um encontro com o pastor, fazendo com que ele acredite que é com a filha dela que iria se encontrar. Ele foi até a casa da menina e ao chegar lá, foi surpreendido pelos pais dela, que tentaram detê-lo e gravaram toda a situação.


Apesar da tentativa em capturar o pastor, ele conseguiu fugir e os pais da adolescente ficaram apenas com o celular dele, que acabou caindo no chão no momento da fuga. Segundo os pais, além das mensagens trocadas com a filha deles, o celular do homem tinha outras conversas comprometedoras, como textos em que ele convidava meninas para irem dormir na casa dele. “Ele como pastor, que tinha que dar o exemplo, pecou inúmeras vezes, de várias formas, com pessoas diferentes e o celular está lá para comprovar”, disse a mãe da vítima.


Após a denúncia do caso, o pastor foi chamado para depor na delegacia de Quatro Barras, onde ficou por aproximadamente uma hora dando explicações sobre as acusações. Na saída, um dos advogados afirmou que o pastor nega todas as acusações de assédio e que está colaborando com as investigações da Polícia Civil.

Publicidade Linkada

1/1

1/10

1/1

1/1

1/1

1/1

1/1

1/1

1/2