495450580893305

Sobre fugitivos pedindo roupas e comida na região: "Trata-se de mais uma informação falsa"



Uma mensagem que circula pelo aplicativo WhatsApp informando que fugitivos estariam pedindo roupas e comida nas casas tem deixado a população de Campina Grande do Sul e cidades vizinhas em alerta.

Sem repassar detalhes de onde e quando os presos se evadiram do sistema prisional, a mensagem vem acompanhada de fotos dos supostos foragidos, e ainda pede para que os moradores tenham cuidado e acionem a Guarda Municipal ou a Polícia Militar quando se depararem com um dos suspeitos.

Procurando esclarecer a informação, o Linkada News procurou a Delegacia de Campina Grande do Sul que de antemão informou que fato não é verídico e trata-se apenas de um boato viral. Segundo o delegado João Marcelo Renk Chagas, a Polícia local não registrou nenhuma fuga de presos nos últimos dias e não emitiu nenhum alerta sobre isso. “Trata-se de mais uma informação falsa. Pelo que foi identificado nas imagens os rapazes foram presos na região do CIC, em Curitiba, e até onde se sabe permanecem presos", disse Chagas.

O delegado pede para que as pessoas evitem repassar esse tipo de informação sem antes verificar sua veracidade. "Como autoridade policial peço a gentileza para que as pessoas parem de ficar propagando inverdades, pois isso além de alarmar a sociedade é considerado crime. Se fosse verdadeira a informação, nós seríamos os primeiros a divulgar amplamente para a comunidade”, disse Chagas.

Boatos mais comuns

Entre os boatos mais comuns que já se teve notícia estão histórias de que um carro foi roubado com um bebê em seu interior, de golpistas que estariam fazendo testes de glicemia para transmitir HIV, e a mais recente envolvendo o sequestro de crianças. Nesse último caso, uma mulher chegou até a registrar boletim de ocorrência na delegacia de Campina Grande do Sul após ser comparada com uma raptadora de crianças. Ela teve inclusive a foto de seu carro exposta em um grupo de compras e vendas da região. CLIQUE AQUI para ver esta reportagem:

“A população deve ter cuidado com o que compartilha nas redes sociais apenas para “se prevenir”, pois isso pode causar sérios problemas não só para quem está tendo sua imagem divulgada como também gera "dor de cabeça" para quem propaga esse tipo de informação. Os responsáveis pelas mensagens acabam tendo que gastar com advogado para se explicar depois”, alertou o delegado.


1/1

1/10

1/1

1/1

1/1

1/1

1/1

1/1

1/2