495450580893305

Teste do pezinho: saiba por que é importante realizar o exame nos recém-nascidos



Com apenas uma gotinha de sangue recolhida do calcanhar do recém-nascido, é possível detectar precocemente doenças como anemia, cegueira, hipotireoidismo, problemas nos rins e pâncreas, além de identificar distúrbios intelectuais. Conhecido como teste do pezinho.

Atualmente contempla o Programa Nacional de Triagem Neonatal, implantado pela Portaria nº 822/2001 do Ministério da Saúde, que garante o direito ao exame a todos os recém-nascidos, e tratamento àqueles com diagnóstico positivo para alguma das doenças triadas. Ele engloba as doenças: fenilcetonúria, hipotireoidismo congênito, fibrose cística, anemia falciforme e demais hemoglobinopatias. Doenças estas congênitas (adquiridas antes do nascimento) de herança genética.

O teste deve ser feito após as primeiras 48 horas do bebê e até o 5º dia de vida. O período de dois dias antes do exame é essencial para que o funcionamento do organismo do bebê se estabeleça e seja possível detectar as doenças, principalmente a fenilcetonúria, que é diagnosticada após o bebê fazer a digestão do leite materno ou da fórmula infantil. Lembrando que os bebês prematuros devem voltar ao hospital após 30 dias para uma nova etapa de exames.


Ao diagnosticar as doenças precocemente, é possível começar o tratamento adequado nas primeiras semanas de vida do bebê e evitar consequências graves no futuro.

Para o teste, o profissional de Enfermagem coleta uma amostra de sangue do calcanhar do bebê (área indolor com grande irrigação sanguínea) em um papel-filtro padronizado, e após a secagem encaminha ao laboratório para analise. Para que o procedimento ocorra de forma tranquila é recomendado que a mãe segure o filho em pé, no seu colo. Dessa forma, o bebê se sentirá mais seguro e a posição do pezinho, voltado para baixo, facilitará a saída de sangue. O resultado pode demorar até 30 dias, e é fundamental que os pais se informem no hospital como devem fazer para obter o resultado. Caso haja alguma alteração, uma nova coleta deverá ser solicitada para confirmar o diagnóstico e iniciar o tratamento.

Não deixe de fazer o teste do pezinho no seu filho (a), pois com ele é possível diagnosticar alguma doença precocemente, e assim começar o tratamento adequado nas primeiras semanas de vida do bebê, evitando consequências graves no futuro.

Foto: Divulgação


1/1

1/10

1/1

1/1

1/1

1/1

1/1

1/1

1/2