495450580893305 Vacinação contra a gripe no Paraná começa na próxima semana

Vacinação contra a gripe no Paraná começa na próxima semana



Na próxima segunda-feira (25) tem início a campanha de vacinação contra a gripe em todos os municípios do Paraná. Pessoas com mais de 60 anos, crianças de seis cinco anos incompletos, gestantes, mulheres que deram à luz nos últimos 45 dias e portadores de doenças crônicas estão dentro do grupo que pode procurar a Unidade de Saúde mais próxima para se vacinar. A informação foi divulgada nesta semana pela Secretaria da Saúde. “Entre idosos, gestantes e crianças, o Paraná totaliza mais de 2 milhões de pessoas. Nossa meta é vacinar, no mínimo, 80% dessa população de risco”, ressalta o coordenador estadual de Imunização, João Luís Crivellaro. Até esta quarta-feira (20), o Ministério da Saúde enviou 48% das doses disponibilizadas para o Estado. O próximo lote com mais 90 mil vacinas está previsto para chegar até domingo (24). Até o fim da campanha, o Paraná deve receber quase 3 milhões de doses. A campanha também atinge outros públicos de risco, como trabalhadores de saúde, população indígena e privados de liberdade.

A Secretaria da Saúde também confirmou três novos óbitos por gripe no Estado. No total agora são cinco mortes por H1N1 no Paraná – em Foz do Iguaçu, Quitandinha e Umuarama, além das já confirmadas em Maringá e São José dos Pinhais.

INDICAÇÕES – No caso da vacinação em portadores de doenças crônicas, como, por exemplo, diabéticos, cardiopatas ou doentes renais, é necessário apresentar indicação médica. Em doenças agudas febris moderadas ou graves recomenda-se adiar a vacinação até a resolução do quadro com o intuito de não se atribuir à vacina as manifestações da doença. A vacina também pode manifestar reações em pessoas com alergia ao ovo de galinha. “Por apresentar proteína do ovo na composição, ela não deve ser aplicada em quem tiver alergia severa à substância. Se a alergia é moderada, pode-se procurar um médico para avaliar a situação. Para garantir a segurança do paciente, a aplicação deve, neste caso, ser realizada em ambiente hospitalar”, explica Crivellaro.

(Foto: Sesa)


1/1

1/4

1/7

1/1

1/6

1/5