495450580893305 Vereadores de Campina assinam moção de repúdio ao massacre contra professores

Vereadores de Campina assinam moção de repúdio ao massacre contra professores



Professores e servidores da rede estadual de ensino participaram nessa segunda-feira (11) da sessão na Câmara Municipal de Campina Grande do Sul. Os educadores que tentam superar a crise na educação paranaense, pediram apoio dos vereadores referente a assinatura de uma moção de repúdio, em razão da violência empregada pelo Governo do Estado contra os educadores e servidores na manifestação ocorrida no último dia 29 de abril, em Curitiba. A classe, que continua em greve por tempo indeterminado, luta contra a aprovação do projeto que altera o Fundo de Previdência dos servidores estaduais do Paraná.

O presidente da Câmara, vereador Sergio Cavagni, abriu a Tribuna Livre para a professora Indianara Andujar, que em nome dos demais educadores do município, falou do lamentável episódio vivido pela classe. “O que aconteceu no dia 29 de abril vai ficar para sempre em nossa memória. Fomos afrontados democraticamente e impedidos de participar de uma sessão pública como esta, na Assembleia Legislativa, onde se votava um projeto que altera o sistema de previdência e as aposentadorias dos servidores do nosso estado”. A educadora ainda completou: “Mais do que cidadãos, éramos os maiores interessados na participação desta votação, na qual fomos impedidos não só judicialmente, mas violentamente com bombas de efeito moral, bombas de gás lacrimogêneo e balas de borracha sendo atiradas a esmo. A atitude do governo estadual feriu todos os padrões de democracia”, disse a educadora.

Ao final de seu pronunciamento, a professora fez um apelo para que os parlamentares assinassem uma moção de repúdio aos responsáveis pelo massacre que deixou mais de 200 pessoas feridas. “Independente de quem os senhores apoiaram para governador ou para deputado estadual, acredito que de maneira alguma os senhores compactuam com a violência. Por isso, peço encarecidamente o apoio dos vereadores, reiterando através deste manifesto o desejo dos campinenses que votaram nos senhores. E peço também que os senhores jamais fechem as portas dessa casa e que jamais se esqueçam quem os senhores representam de fato”, finalizou.


A moção será encaminhada para a sede do Governo do Paraná e para a sede da APP Sindicato, que representa os profissionais da educação do Paraná. Abaixo o texto completo da moção de repúdio assinada por unanimidade pelos nove vereadores; Sergio Cavagni (PT), Bruno de Andrade (PTB), Sidnei Camargo (PP), Eugênio Zanona (PSD), Renato Machado (PMDB), Pedro Café (PP), Cleverson Dalprá (DEM), Geraldo de Souza (PTB) e Rubens Kolinski (PSB):

“No dia 29 de abril o mundo testemunhou um verdadeiro abuso de autoridade que ficará marcado na história de nosso Estado. O Governo do Paraná ultrapassou todos os limites de civilidade, da moralidade, da humanidade quando por ordem do atual governador Beto rixa (PSDB) os educadores do Estado, entre outros funcionários públicos presentes, foram covardemente massacrados por lutarem por seus direitos sociais consagrados constitucionalmente como resultado de conquistas históricas.

Considerando tal fato a comunidade de Campina Grande do Sul, juntamente com os vereadores da Câmara Municipal, vêm através deste documento externar o seu repúdio aos deputados estaduais que se posicionaram favoráveis ao Projeto de Lei nº 252/2015 causando grandes prejuízos aos servidores públicos do Estado do Paraná, ao Governador do Estado, Beto Richa, ao Presidente da Assembleia Legislativa do Paraná, Deputado Ademar Traiano (PSDB) e ao Secretário de Segurança Pública, Fernando Francischini, pela responsabilidade e conivência ao massacre aos professores no dia 29 de abril de 2015, na Praça Nossa Senhora de Salete em Curitiba.”

(Foto: Luis Linkada)


1/1

1/1

1/6

1/1

1/1