495450580893305 Fisiculturismo ganha visibilidade e vem conquistando novos adeptos

Fisiculturismo ganha visibilidade e vem conquistando novos adeptos



Considerado um dos esportes que mais provocam polêmicas e controvérsias, o fisiculturismo vem ganhando cada vez mais adeptos. Uma modalidade que chama atenção de muitas pessoas, e que exige muito dos atletas, que acabam mudando totalmente a rotina e a alimentação para alcançar seus objetivos.

No Paraná, existem várias pessoas que já aderiram ao esporte. O jovem Diones Aparecido (Diones Walker), 26 anos, é um destes adeptos ao fisiculturismo. Ele se interessou pelo esporte há três anos. E desde 2014 participa de campeonatos de fisiculturismo. “Após o incentivo de um endocrinologista, me interessei por essa atividade. Me dediquei muito, um ano foi só de preparação, pois é um processo lento e eu realmente queria transformar meu corpo”, afirma Diones, que além de atleta, também é personal trainer.

Atingir as linhas do corpo de um atleta fisiculturista não é fácil, é preciso abrir mão de certos alimentos e sempre ter muita dedicação e entrega. Diones conta que o esporte trouxe mais disciplina para ele. “A musculação traz diversos benefícios, não só na parte física e estética, mas também fortalecimento muscular e ósseo. Além disso, a pessoa tem mais disposição e fica mais disciplinado. Não é que os atletas sofrem, mas aprendemos a comer somente o que realmente precisamos. Tenho horários e dias certos que posso comer determinado alimento”, conta.

De acordo com o personal trainer, Sandro Luis Machado (Dodô), a combinação da dieta, suplementos e academia são essenciais para garantir uma boa preparação de um fisiculturista. “Dietas e suplementos são essenciais para o fisiculturismo, não existe atleta de ponta sem uma boa dieta e suplementação. Por isso é importante ter um suporte de nutricionistas esportivos associados com o trabalho de um personal trainer. E quem entra nessa atividade treina todos os dias. E por isso é importante que tenha uma equipe grande de profissionais envolvidos, desde fisiologista, médico, personal e nutricionista”, explica o personal.


Apesar de estar ganhando cada vez mais adeptos, o fisiculturismo ainda é considerado um esporte caro, e que dá pouco retorno financeiro ao atleta. “Quem pretende entrar nesse ramo de atividade, deve estar ciente de que é necessário foco, muita disciplina, e principalmente dinheiro para investir nos profissionais, dietas e suplementos, pois não são baratos”, destaca o personal.

Apesar disso, para o fisiculturista Diones, o amor pela atividade fala mais alto. “Os campeonatos não me trazem nenhum retorno financeiro, é amor mesmo. E para quem deseja se ingressar nessa atividade, deve ter muita dedicação, força de vontade e acima de tudo amor, são coisas necessárias e que vão contar muito para atingir os objetivos”, declara o atleta.

Mulheres fisiculturistas

E não é só o público masculino que está aderindo a este esporte. As mulheres estão cada vez mais presentes nesta atividade. Como é o caso da atleta e professora de musculação Patricia Cruz, 24 anos. Ela conta que o interesse pelo fisiculturismo surgiu através da musculação e de quando cursou Educação Física. “Um casal de fisiculturistas me incentivou também e me fez amar o esporte. Meu objetivo sempre foi superar a mim mesma, melhorar a cada competição e alcançar um corpo que parecia inalcançável”, afirma.


Patricia iniciou uma dieta e treino específico em 2013, e no ano passado começou a participar de campeonatos de fisiculturismo. “Em 2014 foram seis campeonatos, fui campeã do estreantes 2014 NABBA, campeã The Big Champion 2014 NABBA, campeã paranaense 2014 NABBA, top 3 Campeonato Brasileiro 2014 NABBA, vice campeã Mr. Blumenau 2014 e vice campeã Copa Sul Sudeste 2014 NABBA”, destaca.

O preconceito ainda existe em relação ao esporte, e quando se fala em mulheres fisiculturistas a discriminação é ainda maior. “Há preconceito sim, sofro muito, por ser mulher muitas vezes as pessoas associam a masculinidade. Mas a partir do momento em que você se aceita, nada mais importa, a opinião dos outros não faz diferença”, desabafa a atleta. E para as mulheres que desejam iniciar nesse esporte, Patricia manda um recado. “Tenha dedicação, disciplina, vontade e acima de tudo amor, são as coisas necessárias para se dar bem nesse mundo”, diz.


(Fotos: André Menta/Colaboração)


1/1

1/1

1/6

1/1

1/1