495450580893305 A força dos times do "interior" no Campinão 2019

A força dos times do "interior" no Campinão 2019

Desde o mês de agosto, em Campina Grande do Sul, várias equipes de futebol adulto se enfrentam na 9ª edição do Campeonato Campinense. Antes chamado de Copa Campina, a competição deste ano mudou de nome por conta da implantação das divisões A e B, seguindo o sistema “todos contra todos”.


O campeonato caminha para seus jogos finais nas próximas semanas e reuniu nesta temporada doze times dos quatro cantos do município, com destaque para os clubes oriundos das regiões consideradas como interior. Tanto os times já conhecidos, quanto os recém-criados, foram desafiados e se destacaram nesta competição que é considerada a maior e mais importante da cidade.



Para lembrar a atuação dessas equipes no Campinense 2019, o Linkada News, através do seu espaço exclusivo dedicado ao esporte regional, o Linkada Na Rede, fez um breve levantamento histórico de quatro clubes vindos das regiões do Terra Boa, Jaguatirica e Bela Vista, demonstrando força e dedicação, não só nesta como também em outras competições dentro e fora do município.


Peñarol: inspiração que vem do Uruguai

Com sete anos de existência, Peñarol é um dos times que representam o interior na Copa Campina, sendo sempre cotado a conquistar títulos.


Tendo grande parte de seus jogadores oriundos da região do Jaguatirica / Bela Vista, o time foi fundado em 13 de janeiro de 2013. A principal inspiração para o nome veio do clube uruguaio Atlético Peñarol, fundado em 1981. Mais do que uma referência, o clube campinense é acompanhado pelos atletas do outro país que volta e meia mandam mensagens de apoio à equipe através do WhatsApp e demais redes sociais.



O Peñarol formou-se durante amistosos e da participação em importantes competições, a exemplo do Torneio Terra Boa, tradicional disputa que reúne não só times de Campina, como também de Quatro Barras. Tal campeonato rendeu ao time o título de campeão logo no seu primeiro ano de fundação e de vice-campeão na série B, em 2014.


No início, a condição financeira do time foi o principal obstáculo, comparando a estrutura e patrocínio recebidos pelos demais clubes já existentes na época. Aos poucos, o time foi se superando e chegou até mesmo a desbancar os clubes tradicionais e mais bem colocados nas competições pelo município.


Fora dos gramados campinenses, o Peñarol já disputou a Taça dos Peladeiros realizada em Curitiba, na qual conquistou o segundo lugar entre outras onze equipes. Mesmo perdendo na decisão por pênaltis, que resultou em 4 X 2, o time deixou o campeonato com um saldo positivo em vários aspectos, ganhando destaque nas categorias: melhor craque do campeonato, goleiro destaque, artilheiro e melhor defesa, além de se manter invicto até a decisão.


Real: o novato que chegou pra ficar

O Real iniciou as atividades neste ano com os jogadores Felipe (Camisa 7) e João Junior (Camisa 9), ambos integrantes de um time de futebol de salão, que contaram com o apoio dos jogadores Adrian e Milton (Goleiro). O Real foi estreante da Copa Campina série B e chegou longe na disputa contra o fortíssimo líder nas semifinais, perdendo o jogo por 3 a 2, mostrando capacidade e um futuro brilhante, uma vez que o grupo garante que “chegou pra ficar!”.



O time, que iniciou o campeonato enfrentando dificuldades em manter alguns de seus jogadores, mas se consolidou na competição sob o comandado do técnico Rafael Coimbra que destacou tanto a forte atuação defensiva da equipe quanto as atuações ofensivas durante a competição.


Antes de se tornar um clube de futebol de campo, os fundadores do Real tiveram uma experiência com o futebol de salão, num time comandado pelo jogador Felipe. Além da Copa Campina, o clube participou do Torneio Terra Boa, no qual obteve o segundo lugar. O bom resultado para um time considerado novato indicou que o Real teria grandes chances de participar de outros campeonatos.


O segundo lugar na competição deu visibilidade ao clube que com o feito conseguiu o seu primeiro patrocínio para confecção do uniforme. Logo de cara, foram encomendados 25 conjuntos, número superior ao de jogadores, pois na visão do grupo, novos integrantes viriam somar à equipe.


Ainda este ano, o Real participou também participou de amistosos realizados aos finais de semana no Jardim Paulista. Os jogos se tornaram uma espécie de treino para os atuais e novos jogadores que aos poucos foram formando a composição do time atualmente.


União Terra Boa: entre pausas e retornos

O clube participa da Copa Campina séria A, mas segundo a direção técnica, não há mais chances de classificação nos próximos dois jogos, visto o número de pontos angariados até o momento. Além do tradicional futebol de campo, o União Terra Boa ainda possui uma equipe de futsal feminino que atualmente participa da 1ª Copa Smelj de Futsal Feminino de Campina Grande do Sul.



Fundado em 2000 pelos moradores da região do Terra Boa, o União Terra Boa é um time assíduo nos campeonatos pelo município e traz consigo uma história de “pausas e retornos”, já que a equipe permaneceu alguns períodos fora dos gramados.


Tendo como ídolos principais o capitão Dodô e o artilheiro Fabão, o União Terra Boa já representou Campina Grande do Sul na Taça Paraná, principal competição do futebol amador do estado, depois de angariar um bom resultado na Liga Municipal, em que garantiu o título na primeira divisão em 2001.


Mudanças no comando do time nos anos posteriores fizeram com que o grupo não mantivesse o mesmo saldo positivo conquistado inicialmente. Por alguns anos o time preferiu dar uma pausa e não disputou nenhum outro campeonato. O time só retornou na segunda divisão em 2010, ano em que conquistou novamente o ascesso para série B da Liga Municipal.


Com o feito, o União Terra Boa subiu da segunda para a primeira divisão. A equipe participou da Liga por mais três temporadas seguintes, até pedir pela segunda vez afastamento da competição, retornando aos campos no ano passado com a Copa Campina. Na ocasião, o clube se manteve até a semifinal, em que garantiu o terceiro lugar na competição. O próximo objetivo da diretoria é atualizar a equipe e pensar em 2020.


River: a força de um time jovem

Composto em sua maioria por atletas que estão disputando pela primeira vez um campeonato, o time que tem pouco mais de um ano de existência vem com o intuito de renovação no futebol campinense.



Por um breve período de tempo, a equipe ficou conhecida como Juventus, sendo um time ainda em processo de formação, que estava começando a buscar um espaço no esporte regional com o trabalho árduo de dois amigos. Após essa época, o até então “Juventus” ganharia uma nova “cara” e porque não dizer, um “gás a mais” para alavancar a equipe. É aqui que surge o River Campina.


Com o pensamento mais amadurecido e com a ajuda de outros participantes de campeonatos locais, um dos fundadores contou que o novo nome foi inspirado em ninguém menos que o clube de futebol da Argentina, River Plate. Após o fechamento da nova formação, a equipe começou a buscar recursos para melhorar as condições dos jogadores dentro e fora de campo, sendo a primeira conquista o uniforme oficial dos atletas.


Por ser uma equipe nova, o River está aos poucos se enquadrando nas disputas campinenses, mas isso não quer dizer que o time não esteja se preparando com foco total, já que o fato é que há um processo de formação para a chegada de uma equipe forte e bem treinada para o campeonato de 2020.

1/1

1/1

1/3

1/1

1/6