495450580893305
 
  • Linkada News

Após faltar provas para candidatas, Concurso Público em Quatro Barras vira caso de Polícia



Candidatas que se inscreveram para o concurso público em Quatro Barras não puderam fazer o teste realizado neste domingo (3). O problema ocorreu depois de faltar o caderno de provas para pelo menos três pessoas em um dos locais de realização do concurso. A situação acabou virando caso de polícia.

As candidatas iriam fazer a prova no Colégio Sesi, mas tiveram uma surpresa quando já em sala perceberam que o número de provas não seria suficiente para todos os participantes. Indignadas, as candidatas decidiram acionar a Polícia Militar para registro da ocorrência.

Segundo o relatado no Boletim de Ocorrência, as candidatas procuraram a solução do problema junto a comissão organizadora, mas além de continuarem sem as provas foram informadas que não poderiam permanecer em sala sem o caderno de questões.

O concurso público era para preenchimento de 53 vagas para 37 cargos desde o nível alfabetizado até superior. A empresa responsável em aplicar as provas foi a CEC Concursos, com sede em Curitiba.

NOTA DA PREFEITURA

No fim da tarde, a prefeitura de Quatro Barras publicou uma nota de esclarecimento sobre o caso. A nota continha as seguintes informações:

A Comissão Especial do Concurso Público, constituída através do Decreto nº 5535/2017, e a Administração Pública, tendo em vista o adiamento das provas que seriam realizadas no período da tarde do dia 3 de dezembro de 2017, de responsabilidade da CEC Concursos, vencedora da licitação 03/2016, Contrato nº 131/2016, vêm esclarecer à comunidade e em especial aos candidatos que os motivos do adiamento são de inteira responsabilidade da empresa e que o Município tomará todas as medidas cabíveis para solução do problema e tão logo exigirá nova data para a realização das provas.

As datas, locais e horários serão divulgados nos próximos dias.

Lamentamos o ocorrido e nos solidarizamos com os candidatos que foram prejudicados neste acontecimento inteiramente alheio a nossa vontade.


1/1

1/1

1/2

1/1

1/1

1/2

1/1

1/10

1/2

1/5