495450580893305 Égua morre após ser massacrada por trator da prefeitura de Quatro Barras

Égua morre após ser massacrada por trator da prefeitura de Quatro Barras


Foto: Reprodução/Facebook Suzana Palmeira

Uma égua em idade avançada e já com problemas de visão morreu após ser massacrada por um trator, na manhã da última terça-feira (11), na Rua Nilo Fávaro, em Quatro Barras. Segundo a denúncia que foi divulgada via redes sociais, quem dirigia a máquina no momento da morte era o responsável pelo animal.


As imagens da égua ainda caída com vida às margens da rua foram recebidas pela Sociedade Protetora dos Animais de Curitiba. Após isso, uma equipe de veterinários juntamente com a Guarda Municipal foram até o local verificar o estado de saúde do animal e, em seguida, seguiram para a casa do então dono da égua, mas só conseguiram o encontrar no local de trabalho, que foi onde ele confessou ter levado a égua em um trator e que o animal foi massacrado com a máquina até morrer e então enterrada.


Após confessar o crime, o homem foi levado pela Guarda Municipal à delegacia de Quatro Barras por prática de abuso e maus-tratos contra animais. Ainda na delegacia, algumas testemunhas foram ouvidas e um Termo Circunstanciado foi registrado. A situação ainda foi denunciada ao Ministério Público do Paraná e uma audiência foi marcada para o dia 1º de julho, no Juizado Especial Criminal de Campina Grande do Sul.


VEÍCULO DA PREFEITURA – Além de cometer um crime ambiental, que pode gerar uma pena de detenção, de três meses a um ano e multa que, neste caso, pode ser aumentada de 1/6 a 1/3 pelo fato do animal ter morrido, o proprietário da égua utilizou um trator que pertence à Prefeitura de Quatro Barras. Outro fato que agrava a situação é que o animal foi enterrado em um terreno que também pertence ao executivo municipal. Tanto a origem do veículo quanto o local onde foi deixado o corpo do animal foram citados no processo criminal e já é de conhecimento da Secretaria do Meio Ambiente de Quatro Barras, que está averiguando a situação.


A reportagem do Linkada News entrou em contato com a Prefeitura de Quatro Barras para esclarecer se o homem apontado como proprietário do animal é ou era funcionário do órgão ou não, e se não, quem operou a máquina que massacrou a égua e enterrou a mesma, uma vez que foi utilizada a estrutura pública para o crime ambiental cometido. Além disso, em buscas via Portal da Transparência não encontramos o nome do acusado nos registros.

1/1

1/1

1/6

1/1

1/1