495450580893305 Mais de 100 mil pessoas participaram dos protestos pelo Paraná, segundo a Polícia Militar

Mais de 100 mil pessoas participaram dos protestos pelo Paraná, segundo a Polícia Militar



Mais de 109 mil pessoas, sendo 60 mil somente na capital, participaram das manifestações contra o Governo Federal ocorrido neste domingo (16) em todo o estado do Paraná, segundo informou a Polícia Militar, que para evitar tumultos e desordem reforçou os efetivos a pé, em motocicletas, viaturas e módulos móveis. As ações tinham como objetivo também prevenir furtos, roubos, além do gerenciamento do trânsito local e no socorro de vítimas clínicas, caso necessitasse. Em Curitiba, os participantes do protesto se reuniram, por volta das 12h na Praça Santos Andrade, em seguida, às 14h, se direcionaram para a Boca Maldita, onde permaneceram até às 17h30. O trajeto dos manifestantes foi feito pela rua João Negrão, em seguida pela avenida Marechal Deodoro da Fonseca e Travessa Oliveira Bello, até chegar na Rua XV, mais especificamente na Boca Maldita (local dos discursos), tudo na região central de Curitiba. O Batalhão de Polícia de Trânsito (BPTran) realizou bloqueios de trânsito no entorno da Praça Santos Andrade para garantir a manifestação e organizar o fluxo de veículos nas vias. Durante o percurso, até a Boca Maldita, as equipes policiais orientaram os motoristas e pedestres, e só puderam adentrar no perímetro de isolamento de trânsito os caminhões de som do evento que haviam sido previamente cadastrados com o Comando da operação da PM. Segundo o Comando da Polícia Militar do Paraná, apenas um tumulto foi registrado na Praça Santos Andrade, em Curitiba, onde quatro pessoas vestindo camisetas vermelhas sofreram arranhões e foram medicadas ainda no local. A Polícia Militar interviu na situação e orientou aos envolvidos que se retirassem do local para evitar maiores transtornos. Uma equipe policial os acompanhou para fora da manifestação.


De acordo com o comandante da operação, tenente-coronel Antônio Zanatta Neto (Comandante do 12º BPM), o ato seguiu tranquilamente até o final, não foi registrada nenhuma ocorrência e não houve chamadas referentes. “Conseguimos garantir a segurança de todos aqueles que compareceram ao evento para lutarem pelos seus direitos de forma pacífica e ordeira. Não tivemos registros de ocorrências e o único tumulto que ocorreu foi resolvido rapidamente. O nosso propósito é trabalhar de maneira preventiva, sempre buscando o melhor para a comunidade e garantindo os direitos de expressão”, afirma o Comandante do 12º BPM, tenente-coronel Zanatta. Nas demais cidades do Paraná, que reapresentaram manifestos, não houve registro de ocorrência e nem de tumultos até o fim das atividades. "Vimos nas principais cidades do Estado pessoas, adultos e crianças, vestindo as cores do Brasil e saindo às ruas para manifestar por seus direitos, de maneira ordeira, consciente e pacífica. Devido à isso, e ao esquema de segurança, previamente planejado e hoje executado com excelência, não houve registros de ocorrências", avaliou o Subcomandante-Geral da PM, coronel Carlos Alberto Bührer Moreira. Em Curitiba, além dos batalhões de área e da Diretoria de Tecnologia e Qualidade (DDTQ) - que aplicou a plataforma elevada de observação -, as unidades especializadas apoiaram ativamente a ação, são elas: o Batalhão de Operações Especiais (BOPE), o Batalhão de Polícia Militar de Operações Aéreas (BPMOA), o Regimento de Polícia Montada (RPMon) e o Batalhão de Polícia de Trânsito (Btran).

No decorrer da manifestação, na capital, o esquema de segurança da Polícia Militar contou com o apoio de caminhões da POE (Plataforma de Observação Elevada) que capturou imagens do deslocamento dos manifestantes, permitindo assim a aplicação do policiamento em locais específicos. As imagens foram transmitidas em tempo real para o Centro Integrado de Comando e Controle da Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária.

(Fotos: Divulgação PMPR)


1/1

1/1

1/1

1/1

1/1

1/7

1/5

1/6