495450580893305

Templo de Salomão será inaugurado nesta quinta


Da Redação

Em meio a suspeitas de irregularidades e polêmicas, a inauguração oficial do Templo de Salomão, construído pela Igreja Universal do Reino de Deus no Brás, região central de São Paulo, acontece a partir das 19h desta quinta-feira (31) horário de Brasília. A cerimônia de inauguração espera contar com a presença da presidente Dilma Rouseff; do ex-presidente Lula, do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin; do prefeito Fernando Haddad, além de nomes da alta cúpula da sociedade como empresários e representantes de outros estados, bem como funcionários e artistas da Rede Record, que estão entre os convidados.

Considerado o maior espaço religioso existente no país, o templo que custou a denominação o valor aproximado de R$ 650 milhões, foi erguido com alvará para reforma, características que exigiria do empreendimento um alvará específico de construção. Segundo a Promotoria que investiga o caso, a documentação obtida pela Universal é irregular e resultou na economia nos impostos exigidos pela Prefeitura.

O local é uma réplica fiel do templo em Jerusalém, construído pelo próprio rei Salomão, filho de Davi, centenas de anos antes do nascimento de Cristo. Destruído pelo Império Babilônico, foi reconstruído no ano 160 a.C., mas aí foi a vez de os romanos colocá-lo abaixo 70 anos d.C. Parte do que sobrou do antigo templo é chamado hoje de O Muro das Lamentações, considerado o lugar mais sagrado da Terra Santa pelo povo judeu.

Enquanto durar o calendário oficial de inauguração, pelo menos 60 delegações internacionais devem visitar o prédio. A princípio o local receberá apenas os fiéis da denominação e pessoas credenciadas, fato que tem gerado inúmeras polêmicas por parte de líderes cristãos de outras denominações, que dizem não haver coerência na ideia de erguer um megatemplo semelhante ao que foi construído pelo rei Salomão, acreditando que a edificação abrigará o anticristo, conforme sermão profético de Jesus descrito nos evangelhos de Marcos e Mateus, em versículos que tratam a respeito da reconstrução do templo destruído em Israel, anos antes ao juízo final.

Outro fator que tem gerado polêmica entre os evangélicos é o manual de etiqueta exigido para adentrar o local, que envolve desde vestimenta até pontualidade de horário, além da proibição do visitante levar consigo câmeras fotográficas, smartphones, tabletes, ou outros aparelhos eletrônicos, mesmo que desligados. Antes de entrarem no megatemplo, todos, sem excessão serão revistados por seguranças e detectores de metais.

A construção da réplica do Templo de Salomão é também vista com maus olhos pela comunidade judaica. Em 2010, o rabino Chaim Richamn, integrante do Instituto do Templo, em Jerusalém, condenou a iniciativa da igreja. “A mega igreja planejada pelo Bispo Macedo é uma usurpação e um abuso ao espaço sagrado e ao conceito de Templo Santo que é representado na Bíblia, e também é uma brusca forma de se apropriar de valores sagrados do Judaísmo. A Divina Presença de Deus não pode ser copiada ou simplesmente usurpada e transportada para outro lugar. Isso não é nada mais que uma tentativa sínica e manipuladora da Igreja Universal do Reino de Deus de encaixar a mensagem universal da Bíblia em sua própria agenda”, criticou, numa entrevista ao Israel National News.

A revista Exame publicou recentemente algumas curiosidades sobre o projeto, destacando os custos, o tamanho, a importação de materiais de Israel e Espanha, além das regras de vestimenta. Confira:

1 – O Templo foi construído em um terreno de 35 mil metros quadrados – o equivalente a 5 campos de futebol;

2 – O Templo de Salomão assume o posto de maior espaço religioso do país em área construída, que é 4 vezes maior do que o Santuário Nacional de Aparecida (SP). Aparecida tem 23,3 mil m² de área construída, enquanto o Templo Salomão tem 100 mil m²;

3 – A obra durou 4 anos e custou R$ 680 milhões;

4 – O Bispo Edir Macedo mandou vir de Hebron, em Israel, 40 mil metros quadrados de pedras usadas na construção e decoração do Templo;

5 – Doze oliveiras foram importadas do Uruguai para reproduzir o Monte das Oliveiras;

6 – A capacidade do novo templo é de 10 mil pessoas;

7 – As cadeiras que vão acomodar os milhares de fiés foram trazidas da Espanha, segundo a Veja SP.

8 – Cerca de 40 imóveis foram comprados no Brás por conta da obra, também segundo a Veja SP.

9 – No altar, há uma esteira rolante destinada a carregar o dízimo pago pelos fiéis diretamente para uma sala-cofre;10 – Dez mil lâmpadas de LED foram instaladas no teto do salão principal;

11 – Nas paredes há grandes menorás – candelabros de sete braços;

12 – Na área construída há ainda espaço para 60 apartamentos de pastores que estão a trabalho no templo – incluindo um para o Bispo Edir Macedo;

13 – O altar foi construído no formato da Arca da Aliança, local onde teriam sido guardados os Dez Mandamentos, segundo a Bíblia;14 – Cem metros quadrados de vitrais dourados foram instalados acima do altar;

15 – O estacionamento do templo conta com 2000 vagas para carros, 241 para motos e 200 para ônibus;

16 – Por enquanto, no período inaugural e de testes, só se poderá ir ao Templo em caravanas; Este foi um acordo com as autoridades, para que avaliasse o impacto no trânsito da região. Depois, qualquer pessoa, com seus próprios meios, poderá ir ao templo;

17 – Além do Templo, há também um museu, chamado de Memorial. Lá, 12 colunas explicam a origem das 12 tribos de Israel;

18 – Para as mulheres, é vetado o uso de “minissaias ou outros tipos de roupas curtas, decotadas ou sensuais”. Já os homens deverão deixar no armário as camisetas de times de futebol, bermudas, regatas e chinelos;

19 – Foram usadas na obra 2.600 toneladas de ferro e 145 mil sacos de cimento;

20 – Segundo a assessoria de imprensa da Igreja, a presidente Dilma Rousseff estará presente na inauguração do Templo. O ex-presidente Lula, o governador de São Paulo Geraldo Alckmin e o prefeito Fernando Haddad também são esperados.

#templodesalomão #universal #inauguração

1/1

1/1

1/6

1/1

1/1